Algumas das melhores coisas da vida

“Se apaixonar.
Rir até sentir o rosto doer.
Um banho quente.
Um supermercado sem filas.
Um olhar especial.
Receber cartas.
Dirigir numa estrada bonita.
Escutar sua música preferida no rádio.
Um banho de espuma.
Uma boa conversa.
A praia.
Achar uma nota de R$50,00 na sua blusa do inverno passado.
Rir de você mesmo.
Rir sem absolutamente razão nenhuma.
Ter alguém pra te dizer que você que é bonito (a).
Rir por alguma coisa que você lembrou.
Os amigos.
Ouvir acidentalmente alguém falar bem de você.
Acordar e perceber que ainda faltam algumas horas para dormir.
Fazer novos amigos ou ficar junto dos velhos.
Conversas à noite com seu colega de quarto que não te deixa dormir.
Alguém brincar com o seu cabelo.
Bons sonhos.
Viagens com os amigos.
Dançar.
Beijar na boca.
Ir à um bom show.
Ter calafrios ao ver aquela pessoa.
Ganhar um jogo difícil.
Passar o tempo com os amigos.
Ver os amigos sorrir ou rir.
Segurar as mãos de um amigo.
Encontrar com um velho amigo e descobrir que têm coisas que nunca mudam.
Descobrir que o amor é eterno e incondicional.
Abraçar a pessoa que você ama.
Ver a expressão de alguém que ganhou um presente que queria muito de você.
Ver o nascer do sol.
Levantar todo dia e agradecer a Deus por outro lindo dia.
Sorriam e aproveitem as coisas boas da vida !!! ”

Leia mais deste post

Anúncios

Boas maneiras no dia a dia

Boas maneiras em encontros a dois

Cavalheirismo faz parte da etiqueta

 

O convívio social pede hábitos à primeira vista insignificantes, mas que ajudam a manter uma relação harmoniosa com as pessoas a nossa volta e evitam alguns constrangimentos.

Ao sair, o casal deve seguir regras de boas maneiras para manter o romantismo e a postura em lugares públicos. Se a mulher subir uma escada, o homem subirá logo atrás. Para descer acontece o contrário, o homem vai logo à frente da mulher, protegendo-a de uma eventual queda.

O homem é quem entra primeiro no restaurante ou no teatro, pois é o responsável por falar com o maître ou por localizar a poltrona. No restaurante, o homem deve dirigir a palavra ao garçom. A mulher diz a ele o que quer e este transmite o pedido. Quando a nota chegar, é elegante conferir o valor com discrição.

Se casal encontrar algum conhecido, comentários sobre a intimidade dos dois devem ser evitados. É de mau gosto contar as divergências do casal e, pior ainda, pedir a opinião de outra pessoa. Na frente dos outros, marido e mulher não devem esquecer o respeito e a consideração.

Na hora da saída, a mulher vai à frente. Ao chegar ao carro ou táxi, o homem abre a porta para a acompanhante e entra depois.

 

Boas maneiras em eventos

Comporte-se sem exageros

 

Falar alto, gesticular com exagero, apontar, assobiar, falar palavrões e gírias na frente de pessoas com as quais não tenha intimidade são atitudes que devem ser evitadas.

Se você estiver com muito sono, peça licença e vá ao banheiro passar água fria no rosto. Não é de bom tom bocejar na frente dos outros, pois dá a entender que você não está apreciando o encontro.

Caso o evento seja na casa de alguém, deixe tudo na mais perfeita ordem: tampa do vaso fechada, papel no lixo, pia limpa, sabonete no local apropriado e toalha de mão bem dobrada e no lugar.

Em rodas de conversa todo tipo de assunto é falado, mas em determinadas situações é melhor ouvir do que falar. Quando alguém passa por uma tragédia e decide abordar o assunto, é de péssimo gosto fazer perguntas a respeito do ocorrido. Você escuta com pesar, mas não pergunta nada.

Em algumas situações, chamar a atenção soa mal. Se você for a um enterro, visita de pêsames ou missa use sempre roupa e maquiagem discretas e de cores neutras.

 

Boas maneiras no dia a dia

Tire os óculos ao cumprimentar alguém

 

A preocupação com o outro é um dos princípios da etiqueta provada com pequenos gestos que, no dia a dia, demonstram seu nível de educação.

Embora óculos escuros sejam charmosos, quando se aproximar de pessoas tire-os para que vejam o seu olhar.

Se receber dinheiro, não se acanhe de contar na frente da pessoa que o deu ou de conferir o cheque, mas faça isso com discrição.

Ao receber um livro emprestado, não se esqueça de devolvê-lo no mesmo estado em que o pegou. Assim que terminar de ler um jornal, dobre e deixe-o pronto para outras pessoas lerem.

Quando alguém viaja para longe ou mesmo se muda para outra cidade, faça uma visita de despedida. No dia do embarque, se você for muito íntimo, vá ao aeroporto, mas não monopolize o tempo do viajante, pois provavelmente ele precisa despedir-se de muitas pessoas.

 

 

Boas maneiras e o bom senso

Use o bom senso quando for ao hospital.

 

O bom senso também é necessário ao visitar um amigo ou parente no hospital. Se o paciente não for muito próximo, ligue para a família ou para o hospital para saber a que horas pode visitá-lo.

Não faça uma visita demorada e seja positiva tocando somente em assuntos leves e descontraídos. Se for feito algum tratamento durante a visita, saia do quarto e volte depois.

Todos nós estamos sujeitos a cometer gafes. Caso ela aconteça, aja como se nada tivesse acontecido. É o melhor jeito de disfarçar, e menos pessoas perceberão o ocorrido.

 

 

 

Namoro pela internet: clique aqui

É possível encontrar a cara metade

Namoro pela internet: clique aqui

 

Aquele frio na barriga ao segurar a mão do parceiro…aquela expectativa do primeiro beijo depois de meses de namoro. O que? Não está entendendo nada ou isso não faz mais sentido para você? Bem-vindo à era do namoro virtual onde o seu amor pode estar a um clique de distância.

Com a chegada da Internet, as relações ficaram mais estreitas e rápidas. Você pode conversar em tempo real com quem está a quilômetros de distância sem sequer conhecer pessoalmente ou visitar e conhecer lugares sem sair do seu lugar! Pode parecer estranho, mas é mais comum do que se imagina. O universo on-line é muito vasto, há uma infinidade de sites para navegar. O que você quiser achar basta digitar e logo aparecem inúmeras opções. Quer encontrar um namorado (a)?Opções de busca não faltam. Existem chats para bate- papo imediato e sites especializados em relacionamentos para tornar mais simples a busca por um amor.

A psicóloga Renata Gongola afirma que muitas pessoas buscam os sites por serem tímidas, , por fantasia, curiosidade ou por terem sofrido alguma decepção e estarem com medo de se relacionar novamente “Não há uma regra. A pessoa por traz do computador cria uma falsa segurança de que está fora de risco de se decepcionar com o outro. É uma expectativa fora do real porque todo relacionamento tem pontos positivos e negativos. O namoro virtual permite o convívio com uma pessoa sem dividir os problemas e dificuldades de um casal real. Contudo, em alguns casos, as afinidades são tantas e tão fortes que resultam em uma união que rompe a barreira virtual e pode até chegar ao casamento.”, explica a psicóloga.

Mariana*, de 50 anos diz que buscou por sites de relacionamento por conhecerhistórias de namoro pela internet que deram certo e por saber que lá encontraria pessoas como ela. “Existe a possibilidade de você analisar o perfil da pessoa e imediatamente selecionar as pessoas que se enquadram no perfil que você procura. No meu caso foi rápido. Acessei o site de namoro virtual há dois meses, me cadastrei há um e já encontrei alguém especial.”, diz Mariana.

É possível encontrar o amor na era virtual

Mas não são todos os internautas que tem essa sorte. Pedro*, 33 anos, freqüenta os sites de relacionamento há dois anos e ainda não conseguiu acessar a sua cara metade. “Já fui a dezenas de encontros, mas nunca encontrei ninguém que olhasse e me apaixonasse. Na net é uma coisa, mas quando você vê mesmo, a coisa rola diferente”, conta o advogado. 

Para que isso não aconteça com tanta freqüência, alguns sites buscam o maior número de informações possíveis dos cadastrados para que possam automaticamente fazer o cruzamento de dados comuns a fim de ajudar na busca, uma vez que são milhões de perfis cadastrados.

“Pessoas mais experientes já têm bem definido o que desejam e o que não querem num relacionamento e por isso vai ficando cada vez mais difícil encontrar um parceiro. Ainda mais hoje que o sexo virtual dispensa as formalidades do dia seguinte.”, alega Mariana.

A psicóloga Renata Gongola reforça essa tese e faz um alerta: “o sexo virtual pode ser prazeroso para quem pratica, mas precisamos saber até que ponto só o namoro pela internet é saudável, pois não devemos substituir o convívio pessoal e a socialização; afinal nada melhor do que acariciar e sentir aquela pessoa especial.

Mas atenção: para o convívio acontecer é preciso que todos os cuidados com segurança sejam tomados. Medidas básicas como não passar endereço, nome completo, telefone para estranhos não devem ser esquecidos nos momentos de empolgação. Tente também conhecer a pessoa pela webcam e só marque encontros em locais públicos.

 

(*) Preservamos a identidade de nossos entrevistados com nomes fictícios.

Adm Top Joy!

 

Porquê o beijo é importante no início do relacionamento

O significado do beijo na boca

Casal se beijando

Shutterstock

Simbolicamente, o beijo na boca implica em “devorar o outro” com carinhos e carícias. Isso pode ser interpretado um tanto “antropofágico”, apesar do outro não ser destruído, mas preservado. Ainda bem!

Quando a paixão nos leva a dar ou a receber “aquele amasso”, o beijo entrelaça dois apaixonados em uma troca de texturas, aromas, gostos, sensações, segredos e emoções. Nós beijamos furtivamente, lascivamente, gentilmente, timidamente, raivosamente e exuberantemente.

Beijar é um encontro físico e íntimo. A fusão de dois corpos emite uma comunicação tão poderosa para seu parceiro, quanto às sensações que fluem para dentro do casal. Esse ato pode nortear a situação atual e o futuro de um relacionamento. De fato, sabemos que quando o primeiro beijo não causa uma boa impressão, isso geralmente impede que o relacionamento siga em frente.

O psicólogo Gordon Gallup Jr., da Universidade de Albany, nos Estados Unidos, avaliou 1.041 estudantes universitários e descobriu que apenas cinco deles nunca haviam tido uma experiência romântica de beijar e mais de 200 deles estimaram ter beijado mais do que 20 parceiros. O pesquisador também encontrou diferenças sexuais quanto à importância e o tipo do beijo.

 

Homens x Mulheres

beijo de casal na cama

Shutterstock

Os homens beijam com uma finalidade – ganhar favores sexuais ou se reconciliar. Por outro lado, as mulheres beijam para estabelecer e monitorar o status de seu relacionamento, avaliar e periodicamente atualizar o nível de comprometimento por parte do parceiro.

Além disso, as mulheres dão mais ênfase ao beijo e, na maioria das vezes, não se envolvem com o sexo sem beijar. Elas foram mais verossímeis que os homens para insistir no beijar antes do ato sexual e mais aptas para enfatizar a importância do beijo durante e depois do encontro. Em comparação, os homens disseram que estariam felizes em ter sexo sem o beijo, e mais homens que mulheres expressaram uma disposição para ter sexo com alguém que não considerassem como um bom beijoqueiro.

Nessa mesma pesquisa, observou-se que 59% de 58 homens e 66% de 122 mulheres admitiram ter tido atração por alguém e rapidamente seu interesse desapareceu após o primeiro beijo. Os beijos considerados ruins não tinham nenhum defeito em particular, os parceiros simplesmente não se sentiram bem e terminaram o relacionamento: foi o beijo do fim. A razão que poderia explicar esse fato talvez seja a existência do MHC não compatível (complexo de histocompatibilidade principal que regula o sistema imunológico) na saliva dos amantes.

Em outras palavras, o beijo seria mais uma “ferramenta estratégica” da evolução para averiguar de forma inconsciente se o candidato escolhido a parceiro é adequado para a procriação e passagem dos genes adiante. Uma explicação um tanto fria e pragmática, mas que não diminui em nada o misterioso deleite de aproximar, tocar e sentir os lábios ardentemente apaixonados.

 

 

Você acredita em amor à primeira vista?

É ele

Casal sorrindo

Shutterstock

Patrícia saiu extenuada do trabalho e já imaginava o relaxante banho que a esperava em casa. Mas sabia que primeiro deveria satisfazer as “vontades” de Apolo. Mal chegou e não teve como se livrar do insistente pedido de seu companheiro canino para dar sua última voltinha de confraternização no calçadão da praia. E lá foi Patrícia levando o saltitante labrador pela coleira num entardecer preguiçoso ao lado das ondas.

De repente, Apolo estancou no chão, e Patrícia tentava com muita dificuldade fazê-lo se levantar novamente. Nesse exato momento no sentido inverso, correndo a alguns metros a sua frente, lá estava ele. Patrícia não conseguiu desviar seu olhar dos olhos verdes do atlético homem que imediatamente parou e a ajudou a levantar Apolo. Seu coração começou a bater descompassadamente, e uma onda estranha de prazer e euforia brotou do seu estômago e subiu em direção ao seu rosto que ardia como um fogaréu. Ele não era lindo, mas o conjunto todo de seu corpo e rosto a atraiu inexplicavelmente. Sentiu uma profunda afeição por esse desconhecido. Tudo foi muito rápido, porém não tinha a exata noção do tempo. Num dado momento, Patrícia percebeu que não segurava mais a coleira de seu cão e que o homem coçava carinhosamente a cabeça de Apolo…

 Casal se olhando

Talvez já tenha acontecido com você: na hora certa, no lugar certo, o tão esperado príncipe se materializa na sua frente. Você não tem dúvida: é ele. Depois de uns olhares furtivos e uma rápida checagem física, você descobre que se apaixonou somente pelo olhar.

Se você já experimentou essa “atração fatal”, tranquilize-se, a ciência já comprovou que o amor à primeira vista existe. Aliás, essa “estratégia” rápida de se encantar pelo outro é muito utilizada por várias espécies de animais. Lembremos que eles têm muito pouco tempo na natureza para “escolher” seu parceiro, visto que as fêmeas ficam receptivas para fazer sexo com os machos por curtos períodos, além do risco dos predadores e concorrentes. Os animais têm que agir velozmente, pois possuem somente algumas horas, alguns dias ou poucas semanas para espalhar seus genes, conceber e procriar.

Visão e atração

Sendo assim, a utilização da visão para buscar e encontrar o parceiro escolhido é fundamental. A atração instantânea tem uma vantagem evolutiva entre as espécies, pois quão mais veloz e eficiente for a identificação do parceiro receptivo, maiores as chances de sucesso na reprodução, que por sinal é o objetivo primordial da natureza.

É provável que nós tenhamos herdado essa “estratégia”. Uma pesquisa norte-americana constatou em uma amostragem de 100 casais, que 11% dos homens e mulheres se apaixonaram no exato momento que olharam para o parceiro.

 

Enquanto isso, no cérebro…

Mulher beijando homem

Shutterstock

Mas o que realmente acontece no cérebro e no corpo quando o encantamento é imediato, no primeiro olhar? Na verdade, os estudiosos acreditam que a intensa atração e desejo sexuais são desencadeados pelo cérebro. Duas estruturas cerebrais são importantes: o hipotálamo e a amígdala – localizados na parte mais primitiva do cérebro, o sistema límbico, nossa “central das emoções”. O hipotálamo é responsável pelos impulsos mais primordiais que temos como fome, sede e sexo. E a amígdala é o centro da excitação sexual.

Simultaneamente ao primeiro olhar, a química cerebral se altera e grandes quantidades de dopamina são liberadas provocando uma verdadeira onda de prazer, euforia e maior produção de testosterona, tanto no homem como na mulher. A testosterona é o hormônio que “engatilha” o desejo e a atração sexuais.

Tudo isso acontece velozmente quando uma pessoa sente uma atração irresistível e incontrolável, ou seja, tem desejo intenso por outra. E esta focalização (um tanto obsessiva) imediata, desencadeada pelo olhar, tem um sentido biológico bem pragmático: procriação e manutenção da espécie. E uma curiosidade: em situações de grande risco de vida para os indivíduos, como guerras e catástrofes naturais, as pessoas tendem a se atrair sexualmente mesmo sem se conhecer…

As preferências físicas

O que atrai o homem e a mulher quando se olham? Veja abaixo as listas de preferências deles e dela

Elas preferem homens com:

  • Traços faciais simétricos;
  • Juventude;
  • Altura maior (que a da mulher);
  • Peito e ombros largos;
  • Braços fortes;
  • Um pouco de barba;
  • Mandíbula e queixo “quadrados e marcantes”;
  • Coxas musculosas;
  • Mãos grandes;
  • Abdome sarado.

Eles preferem mulheres com:

  • Traços faciais simétricos e finos;
  • Lábios carnudos;
  • Juventude;
  • Altura mediana (mas menor que a do homem)
  • Ombros não muito largos;
  • Seios grandes;
  • Abdome sarado;
  • Quadril largo;
  • Nádegas salientes;
  • Mãos finas;
  • Pernas bem torneadas.

Portanto, o amor à primeira vista com intensa atração, desejo e obsessão, é um fenômeno que tem como objetivo unir o mais rápido possível um casal. No entanto, lembremos que nós humanos, apesar de transcendermos o aspecto puramente biológico do amor com nossa inteligência, ainda “carregamos” no nosso DNA comportamentos primitivos que muitas vezes nos deixam perplexos e extasiados.

 

 

Você pensa bem?

Dos nossos pensamentos nascem todos os nossos sentimentos, que são gerados pelas nossas interpretações, sendo seguidos por todos os resultados positivos ou negativos de nossa vida.

Será que quando nos sentimos infelizes é simplesmente culpa do resultado de nossos pensamentos?

Pense bem, se não pensamos em como sermos felizes e planejar esse tão almejado gol, como poderíamos alcançar essa meta que acredito nascemos para aprender?

Sim, na minha humilde opinião nascemos com o firme propósito de aprender como sermos felizes e não infelizes como vivem milhares de pessoas. Parece até que a maioria vive para sofrer e não aprender, que de nossos pensamentos nascem nossas ações e reações.

Isso que parece tão óbvio para mim agora na fase que estou passando é, muitas vezes, incompreensível para alguns que pelo hábito de pensar no problema e não na solução, acabam vivendo em tormento na maioria do tempo.

Ora vejam só: nascemos com o poder de pensar e manifestar o que pensamos e, no final das contas, a maioria de nós não usa esse potencial.  Podemos dizer que a culpa é do sistema ou dos nossos pais, ou do vizinho, porém, depois de ler esse artigo faço votos que você decida tomar posse de seus pensamentos mais profundos e questionar os resultados que vê na sua frente.

Parabenizarei aqueles que lutam pela consciência e prudência de um plano feliz, afinal de contas de quem devemos ser nossos melhores amigos? Do amante ou de nós mesmos? Quem vai nos amar ao ponto de saber exatamente o que precisamos para sermos realizados e felizes?

Precisamos nos alertar para a conscientização da paixão de viver feliz, e não se render ou se anestesiar com os desafios que podem nos tornar vulneráveis, levando-nos a fraquejar e a escorregar.

Podemos também cair, dar a volta por cima e levantar. Tudo vai depender da nossa determinação para vencer os desafios.

É até divertido jogar com nossa criatividade, compromisso e curiosidade para alcançar a felicidade.

Quando aprendemos a pensar como uma pessoa esperta, isto é, usando os desafios como um carro usa gasolina para funcionar, teremos muito mais magia e alegria.

Se não acredita em mim, tudo bem, você não tem obrigação de acreditar, porém, pelo menos se dê ao luxo de experimentar. ;)

Desejo de coração que você nunca desista de viver usando a tremenda força de seu poder.

Sua no aprendizado de ser o melhor que podemos ser.

Lygya Maya

 

Fonte.: Lygyamaya

 

Casamento com homem mais velho ou mais novo?

Casar com homem mais novo aumenta risco de mortalidade da mulher.

Casamento com homem mais velho ou mais novo?

 

A ciência já comprovou que o casamento faz bem para a saúde de homens e mulheres. No quesito longevidade, se o casal tiver idade semelhante os benefícios serão maiores para a mulher. Explica-se.

Pesquisas têm mostrado que homens casados com mulheres mais jovens vivem mais e acreditava-se que mulheres casadas com homens mais novos também teriam uma vida mais longa. Entretanto, um estudo feito no Instituto de Pesquisa Demográfica Max Planck da Alemanha, mostra que se houver uma diferença de idade entre o casal, esse intervalo de anos provoca efeitos bem desiguais na expectativa de vida do homem e da mulher.

O estudo alemão analisou os registros médicos de mais de 2 milhões de casais dinamarqueses, e sugere que o melhor para a mulher é casar com um homem exatamente da mesma idade para garantir uma vida longa e saudável. Isso porque o maior intervalo de idade entre uma mulher e seu marido encurta a expectativa de vida da mulher. Ou seja, um homem mais velho encurta a vida dela e um marido mais jovem também proporciona o mesmo efeito.

Casar com homem da mesma idade é mais saudável

 Casar com homem da mesma idade é mais saudável

Vejamos os resultados: um homem que é sete ou nove anos mais velho do que sua esposa tem uma taxa de mortalidade 11% menor do que um homem cuja esposa tem a mesma idade. Contudo, uma mulher que é sete ou nove anos mais velha do seu marido tem uma taxa de mortalidade 20% maior do que se ela estivesse casada com um homem da mesma idade.

A explicação “clássica” seria de que homens mais saudáveis acabam escolhendo parceiras mais jovens que por sua vez têm maior expectativa de vida. Tais esposas mais jovens trazem para o casamento alguns benefícios, especialmente psicológicos e sociais, para o homem mais velho: além da vitalidade maior, a mulher mais jovem pode ser uma “cuidadora” na idade mais avançada, ajudando a prolongar a vida do parceiro.

Para Sven Drefahl, líder da pesquisa, ainda há dúvidas nestas explicações e afirma que ainda não estão claros quais são os motivos para as diferenças de mortalidade por causa de intervalo de idade das esposas.

Um das hipóteses que ele levanta é sobre a qualidade das amizades do homem e da mulher ao longo da vida. As mulheres costumam ter mais amizades íntimas fora do casamento do que o homem. Além do que, um marido mais jovem não ajudaria a aumentar a expectativa de vida de sua esposa mais velha por tomar conta dela, ou para fazer caminhadas, pois ela tem amizades que poderiam fazer isto por ela. Mas, o homem mais velho não tem.

 Casamento com homem mais novo deixa a mulher mais tensa

Assim, a mulher mais velha não obtém benefícios de um parceiro mais jovem. Outro fator abordado no estudo é que a diferença de idade entre o casal onde o homem é mais novo é encarada pela sociedade como algo que vai contra as normas sociais e daí, o casal, e especialmente a mulher, pode sofrer certa marginalização e receber menos suporte social. Como consequência, o casal experimentaria uma vida menos prazerosa e mais estressante reduzindo a saúde e finalmente aumentando a mortalidade. Importante: isso são especulações.

A boa notícia é que mulheres e homens casados ou em união estável, tendem a ter uma vida mais longa do que as pessoas não casada. Vale destacar que num “mau casamento” onde os cônjuges bloqueiam as reações emocionais frente a uma ofensiva ou crítica injusta do parceiro, o risco de morte é duplicado. Já no “bom casamento” os efeitos positivos são reais na saúde do casal.

Bibliografia

Harburg E. in Harbor A. A good fight may keep you and your marriage healthy. Disponível em http://www.ns.umich.edu/htdocs/releases/story.php?id=6286.

http://www.sciencedaily.com/releases/2010/05/100512062631.htm.

 

A Pedagogia do Amor

Por Willes da Silva – Psicoterapeuta e Consultor Motivacional

.

A Pedagogia do AmorO corpo fala

Compreendermos os significados dos nossos desconfortos é interessante, pois nosso corpo emite sinais para que possamos, em determinadas ocasiões, rever posturas impróprias adotadas, mesmo que inconscientemente, mas, que acabam transformando-se em desequilíbrios dos mais variados e significativos.

Não sou o primeiro a afirmar que “o corpo fala”, isto é, que emite sinais, às vezes sutis, outras nem tanto, sinalizando que algo não vai bem e que é preciso estar atento.

Os alarmes do corpo

Existem pessoas que por completa negligência para com a sua saúde e, no mais, com a sua própria vida, parecem não estar nem aí para elas mesmas, daí que, por ignorarem esses alarmes do corpo, só vão realmente dar-lhes a devida atenção quando advêm crises ou situações de maior gravidade.

Posturas diante da dor

Ocorre também que nem sempre as posturas adotadas diante da dor são as mais saudáveis. Vejamos, por exemplo, a lamentação. O que acrescenta ao indivíduo em situação de desconforto apenas viver a lamentar-se? Nada! Se o lamento por si só, fosse de alguma valia, bastava que ele diante de qualquer circunstância negativa ficasse a lamentar por horas a fio e pronto, tudo se resolveria.

Na verdade, essa postura de coitado, de vítima de alguma coisa, só faz piorar a situação, pois, quando muito, o que ele pode receber dos outros é o sentimento de pena ou o dó, o que, convenhamos, em nenhum momento vai devolver-lhe o bem-estar.

Sintomas no corpo e na alma

Os sintomas dolorosos, físicos ou emocionais, além de requerem os devidos cuidados, trazem implicitamente mensagens de que precisamos melhorar, de que precisamos nos reformular interiormente a fim de obtermos maior harmonia existencial.

Orgulho e ignorância

Pessoas orgulhosas e inflexíveis não conseguem se aperceber disso, já que acreditam saber tudo da vida e que não têm nada mais a aprender.

O orgulho é uma deficiência muito próxima da ignorância;de onde derivam todas as formas de inflexibilidades ou posturas assemelhadas com suas devidas conseqüências. Aliás, vale ressaltar que a inflexibilidade, em certas situações, atua como causa primária de muitos vícios ou transtornos, quer seja no corpo, quer seja na alma.

Seja flexível

Por outro lado, vale destacar positivamente que a humildade, de onde deriva a flexibilidade, é determinante para qualquer processo de transformação, incluindo aí a cura de muitas doenças do corpo ou desequilíbrios emocionais ou não. Isto porque, pessoas flexíveis estão sempre dispostas ao aprendizado, a fazer novas leituras do universo à sua volta, a reavaliar idéias, rever posturas, a perdoar…Enfim, estão mais aptas a trocar a pedagogia da dor pela pedagogia do amor. Portanto, é de grande valor estar atento a tudo que a vida nos proporciona, posto que, em cada evento ela sempre nos apresenta algo educativo e fecundo para a nossa jornada evolutiva, para a nossa constante renovação.

Boa Reflexão para você.

Leia também.: Sem sorte no amor?

Sem sorte no amor?

A explicação pode estar nos genes… E nos feromônios.

Sem sorte no amor?

O dia dos namorados se aproxima e você se lamenta: “mais um ano no qual o meu balanço amoroso foi lastimável”. E, então, reflete: “com tantos potenciais príncipes nas baladas, livrarias, cinemas, festas, sites de relacionamento, blogs, parques, ciclovias, clubes, praias, trilhas… eu aqui, sozinha! Não tenho mesmo sorte no amor!”.

Mas não se desespere ou desanime. A ciência começa a explicar que a culpa pode ser dos genes e não de alguma “falha” consciente, do seu poder de sedução ou da sua mente.

A ciência do amor

Pesquisadores da Universidade Western Austrália analisaram 150 universitários de ambos os sexos e, um questionário minucioso com diversas perguntas sobre a vida amorosa e seus relacionamentos foi oferecido a eles. Além disso, foi feito um estudo detalhado do DNA, sobre alguns genes do sistema imunológico chamados de Complexo de Histocompatibilidade Maior (MHC, na sigla em inglês).

E qual foi o resultado? O estudo mostrou que as mulheres com maior número de diferenças nos genes, haviam tido mais parceiros, enquanto que mulheres com pouca diversidade no seu DNA imunológico haviam vivenciado poucas (ou nenhuma) experiências amorosas. Quanto aos homens, não se detectou tal relação entre os genes e o sucesso nos relacionamentos.

A genética pode estar ligada ao estado civil

Em outras palavras: mulheres com sistema imunológico bem diverso apresentam maior capacidade de resistir a doenças e infecções e, portanto, tiveram mais parceiros. Do ponto de vista da evolução isto tem algum sentido – quanto mais variado for o sistema imunológico, maior possibilidade de a mulher gerar “filhotes” sadios e perpetuar a espécie de forma segura.

Entretanto, os pesquisadores ainda não conseguem explicar exatamente por que tais mulheres têm “azar no amor” se elas seriam mais exigentes na busca do parceiro ou se tal diversidade dos genes imunológicos, herdada dos pais, aumentaria o poder de sedução.

O segredo da atração física no amor

Talvez um dos “ingredientes da atração física” que esteja por traz da diversidade genética do sistema imunológico seja o olfato.

Você já ouviu falar de feromônios? Eles são substâncias químicas voláteis percebidas pelo olfato e sinalizam em várias espécies de animais e insetos que os parceiros estão preparados para o sexo e a procriação. No ser humano, ainda não foram identificadas com precisão as tais substâncias, entretanto, o suor parece ter um papel importante na atração física entre homem e mulher.Principalmente, porque já foi comprovado que a mulher é muito mais sensível ao odor do homem do que o inverso.

Amor e atração

Mas o que o sistema imunológico tem a ver com o olfato? Estudos têm demonstrado que o MHC, uma fonte pessoal única de odor, é uma espécie de“impressão digital do cheiro”, gera um reconhecimento individual e influencia nas preferências de ligação entre os sexos.

Nós somos capazes de detectar o “cheiro desses genes”, conforme mostrou um estudo clássico denominado “o experimento da camiseta suada”. Os pesquisadores solicitaram que as mulheres cheirassem as camisetas suadas (sem perfume ou desodorante) de homens e depois escolhessem aquela que continha o odor mais sensual. As escolhas recaíram sobre as camisetas dos homens que tinham o sistema imunológico (MHC) mais diferenciado, porém compatível. Interessante é que essa escolha pelo odor foi feita de for¬ma inconsciente, ou seja, as mulheres se sentiram mais atraídas pelos homens com sistema imunológico divergente do seu e que poderiam gerar filhos com “melhor genética”.

Portanto, estamos descobrindo que para ter sucesso no amor, inúmeros “ingredientes biológicos” dos quais alguns temos controle e outros não, são necessários para conquistar e ser conquistada pela cara-metade. Entenda mais sobre a pedagogia do amor.

%d blogueiros gostam disto: