Cinema: Indicação da Semana

Santuário

Sanctum
Uma equipe de mergulho enfrenta risco de morte durante uma expedição ao sistema de cavernas inexploradas menos acessível do mundo.
Duração (minutos): 109
Gênero: Ação,Aventura,Drama,Suspense

Cisne Negro

Black Swan
Na trama, uma talentosa e veterana bailarina (Portman) é obcecada pela perfeição nos mínimos detalhes, até ser cotada para interpretar uma difícil peça no mundo da dança: O Lago dos Cisnes. A partir daí, a bailarina começa a descobrir um lado negro em si mesma, que até então desconhecia, adentrando no mundo da revolta, dor, decepção e perda da inocência.
Duração (minutos): 108
Gênero: Drama,Romance,Suspense

Deixe-me Entrar

Let Me In
Abby é uma misteriosa garota de 12 anos de idade que se muda para a casa ao lado de Owen, , um excluído social que é cruelmente intimidado na escola. Em sua solidão, Owen forma um profundo laço com sua nova vizinha, mas ele nota que Abby é completamente diferente de todas as pessoas que ele já conheceu. Quando uma série de terríveis assassinatos domina o inverno da cidade do Novo México, Owen tem que enfrentar a realidade de que esta garota aparentemente inocente é uma selvagem vampira.
Gênero: Drama,Fantasia,Terror,Romance,Suspense

Cinema: Dica da semana | Love and Other Drugs

 

Amor e Outras Drogas – Love and Other Drugs

 

 

Maggie (Anne Hathaway) é uma mulher de espírito livre que não quer se amarrar de maneira alguma. Ela só esperava conhecer Jamie (Jake Gyllenhaal), um charmoso vendedor de produtos farmacêuticos que tem todas as mulheres aos seus pés. Aos poucos o relacionamento evoluiu e ambos descobrem que estão sob a influência da droga mais forte já inventada: o amor.

Duração (minutos): 113
Gênero: Comédia,Drama,Romance
Veja horários nos cinemas  CineSystem |  Cinemarrk |  Kinoplex |  UCI

 

 

Post relacionado:  Jake Gyllenhaal sem camisa [Fotos] | Love and Other Drugs

Cinema – Dicas da semana | O Tourista – Zé Colmeia O Filme

 

O Turista

The Tourist

 

 

Johnny Depp atua como um turista americano cujos flertes brincalhões com uma estrangeira leva a uma rede de intriga, romance e perigo em “O Turista”. Durante uma viagem improvisada à Europa para curar um coração partido, Frank (Depp) inesperadamente desenvolve uma relação amorosa com Elise (Angelina Jolie), uma mulher extraordinária que deliberadamente cruza o seu caminho. Tendo o excitante cenário de Paris e Veneza como pano de fundo, o intenso romance se desenvolve rapidamente na medida em que ambos involuntariamente se envolvem num jogo mortal como gato e rato.
Duração (minutos): 103
Gênero: Ação,Drama,Suspense

 

 

 

 

 

Zé Colméia – O Filme

Yogi Bear

 

No parque Jellystone o urso Zé Colméia e o ursinho Catatau passam o tempo se divertindo muito e roubando as cestas de piquenique dos turistas, para o desespero do guarda florestal Smith.
Gênero: Aventura,Animação,Comédia,Familia.

 

 

 

Livros – Indicação da Semana

Indicação de obras literárias que devem ter em sua estante.

Minha Mãe se matou sem dizer adeus

O autor, Evandro Affonso Ferreira, é uma recente revelação brasileira. Ele escreveu a história a partir do que imaginava sobre as pessoas que observou enquanto passava quatro horas diárias em uma doceria de um shopping paulistano. O resultado: um velho escritor de quase 80 anos reflete sobre sua vida, relembrado o suicídio da mãe, uma artista fracassada e alcoólatra, quando ainda era criança.

O livro foi escolhido como o melhor romance de 2010 pela Academia Paulista de Críticos de Arte – APCA.

Sinopse:

Sentado à mesa de uma confeitaria num shopping, o narrador, um escritor à beira dos 80 anos, vê a vida passar e espera a morte, enquanto relembra acontecimentos de sua infância — como o suicídio da mãe, uma artista fracassada, bêbada e louca, mas com quem mantinha um forte laço. O velho decrépito conversa telepaticamente com outros freqüentadores do shopping, e justifica sua existência melancólica escrevendo sem parar um livro que talvez jamais seja publicado.

Primeiro volume de uma nova trilogia do autor dos elogiados Grogotó!, Araã! e Catrâmbias!, MINHA MÃE SE MATOU SEM DIZER ADEUS é um romance surpreendente, assim como o método de trabalho do escritor Evandro Affonso Ferreira. Durante quase um ano, Evandro passou quatro horas de seu dia em uma doceria de um shopping paulistano. Não entrevistou ninguém, apenas observou o comportamento de quem passava por ali e imaginou histórias. Chegou ao texto final ali mesmo, rabiscando em vários blocos, que só depois digitou no computador.

Onde comprar: Livraria Cultura

No Princípio era a Maravilha

“‘No Princípio era a Maravilha’ tem todas as virtudes esperáveis de uma obra introdutória séria: apresenta o temas por capítulos, é profundo sem pretender ser exaustivo, é redigido com elegância e paixão”.

Sinopse:

Nesta obra o autor, Enrico Berti, reflete sobre a experiência de ‘maravilha’, que é a expressão da liberdade e do desejo de saber. A maravilha é a origem da filosofia e da busca do conhecimento. Nessa obra, em oito capítulos, Berti refaz perguntas dos filósofos antigos, analisa e compara suas respostas com as das religiões reveladas e suas influências recíprocas, além de focalizar as relações entre filosofia e política, filosofia e ciência, e filosofia e história.

Onde comprar: Livraria Cultura

Tenha uma boa leitura!

Partilhe este post: Se gostou das indicações, partilhe com seus amigos usando os botões do bookmarking abaixo.

Cultura – Ler é Aprender! Leia livros e viva novos momentos

Emília Moss (Escritora)

Jornalista formada pela UNI-BH, atuou em todas as áreas do jornalismo ocupando cargos de chefia,nas redações de rádios e tvs. Aposentou-se em 2000 e a partir daí ocupou-se da letras,tendo o primeiro livro premiado em 2001, “A Morte do Anjo” e em 2003 o conto “Lendas do Catador”, no XII Concurso Internacional Literário de Primavera. Em 2004 foi diplomada na categoria AA com a crônica “O Milagre” na III Seletiva de Poesias e Crônicas de Barra Bonita.

“Meus escritos representam mais um esforço para informar aos leitores como minhas experiências do jornalismo deixaram lembranças fortes durante as centenas de coberturas de acontecimentos imediatos e inusitados.”

Emília Moss

A MORTE DO ANJO

“Mentiras do amor!

Não sei por que agora estamos vivendo a falsa verdade de um casamento feliz.. Aparências, nada mais!

Os anos juntos, as grandes companhias que dividiram dores, doenças, meias, sabonetes, discussões, sentimentos, abraços que cobriram o frio humano e sorrisos pela madrugada depois de muito amor… Isto, sim, foi o amor! Mas que acabou e já não é mais esse amor, pois foi transformado em pedaços de dor porque não há mais volta para nós.

Lisa, bem que te avisei. Cuidado! Não me perca para outras pessoas. Outro ser humano igual está difícil. Lisa, não me deixe! Não quero voar mais alto do que já estou indo nessa nossa vida louca, pois posso não conseguir descer. Estou descobrindo sentimentos que não me orgulho de descobri-los, mas que podem me ensinar que um coração partido tem cura.

O que me sobrou de você foi uma dor muito forte e tão fria que tenho a impressão que todo o carinho existente no mundo jamais chegará aos meus pés. E isso por quê? Por que um pássaro dourado, com a cabeça fora do lugar, leviano e cheio de defeitos inescrupulosos, vadiagem, drogas, sexo e delírios de ilusões?

O que você está fazendo comigo e seu filho é covardia. Um sentimento vil, que eu sei não é você. Sei também que nunca soube enfrentar seus problemas e resolvê-los. Desejo que meu vôo continue muito alto, pois meus sentimentos já sentem o desgaste da sua louca vida, principalmente meu coração, que já está perdido e gelado de tanto sofrimento!

Talvez você dê aquele sorriso simples de sempre, quando ler esta carta e eu pretendo estar bem longe de você e não vê-la sorrir. Mas pode ter a certeza de que haverá muita tristeza nessa corrida e, talvez, com uma companhia que poderá ter mudado esse quadro visivelmente inerte que vivo hoje. Não sinto mais o seu amor!

Ainda te amo, Adeus. ’’

Esta foi a carta encontrada pelo detetive Marcos, ao entrar na casa de Lisa, morta com 14 facadas, dentro do seu luxuoso quarto da mansão dos Allissons, família tradicional e uma das maiores fortunas do país.

A mansão, localizada num dos melhores bairros de uma metrópole, já fora palco de outros crimes em algumas décadas atrás, quando o avô de Lisa, Dr. Mathews, matou a esposa e dois empregados. Crimes que até hoje não foram solucionados por falta de provas. Mas este o detetive estava disposto e iria solucionar, por mais que as provas fossem removidas pelo dinheiro da família.

Elizabete Viana Allissons Silva, 28 anos, loira de olhos castanhos, se casou há dez anos com José Carlos Silva, filho do ex-motorista da família, e que fora criado dentro da mansão dos Allissons. Seu pai era o motorista oficial da casa desde os 20 anos. Agora, já aposentado, assistia atônito ao que tudo indicava: ”Seu filho matou a esposa”.

Mas o detetive Marcos ainda insistia, juntamente com a perícia e demais integrantes da equipe de criminologistas da Delegacia de Homicídios, em procurar novas provas, pois ele mesmo não acreditava que um homem simples, mesmo formado em direito, seria capaz de matar aquela moça, sabendo que o passado dela era recheado de amantes, drogas e muita putaria, pois toda a cidade sabia disso.

Era muito fácil levantar seu passado, somente dar uma corrida de olhos nas colunas sociais dos jornais da cidade.

A carta, encontrada sobre a escrivaninha do quarto, local onde Dr. José tinha o costume de ler seus processos, estava escrita a mão e tinha manchas de sangue, mas continha também várias…

Leia mais adquirindo a edição completa escrita por Emília Moss.

Adquira esta e outras edições da escritora Emília Moss no site oficial da escritora www.emiliamoss.com.br

Siga a escritora pelo twitter http://twitter.com/emilia_moss

%d blogueiros gostam disto: