Inspire-se

10 Coisas Que Você Deve Saber e Fazer Antes de ter 40 Anos

Chegando meu 40 º aniversário eu comecei a pensar sobre as coisas que eram importantes para mim. Embora fosse difícil de fazer, eu era capaz de pegar um Top 10 coisas para saber e fazer antes 40. Estes são todos os passos simples e prático e verdadeiramente pode ser aplicável a qualquer idade. Aqui vamos nós:

1. Conheça a Si Mesmo – Quando eu digo “conhecer-se” estou me referindo aos seus pontos fortes e fracos. Temos todos eles e, assim como as impressões digitais que variam para cada um de nós. Conhecendo seus pontos fortes ajudará a saber onde concentrar seus esforços e oportunidades para se destacar. Ele vai ajudar você a atingir seus objetivos e alcançar a satisfação pessoal. Por outro lado, sabendo seus pontos fracos podem ser igualmente não se mais benéfico. Quando você conhece a sua fraqueza e até mesmo mais importante, dispostos a admitir suas fraquezas, você tem uma fundação para o crescimento. Você pode criar uma lista de áreas para gastar tanto tempo ficando cada vez melhor no que você faz sobre as coisas que vêm natural. Você também pode avaliar se a fraqueza é algo que você deve evitar e permitir que outros a realizar.

2. Cuidar da sua vida familiar – Isso é principalmente para os casais, mas sinceramente pode existir com pais, filhos ou outros parentes. Reconhecer questões que possam existir, coisas que são persistente e sem solução. É importante levá-los a céu aberto e “manipulados”. Uma coisa que não são prometidas na vida é o tempo e uma vez que alguém se foi a oportunidade para acertar as coisas vão bem, mas a culpa de não fazer isso pode durar para sempre. Relacionamentos, especialmente casamentos, exigem um trabalho constante e carinho.

3. Determine suas prioridades – Diz-se que a cada sete anos mudamos como pessoas e tudo de fora gostos, gostos e desgostos, ambições e prioridades. É vital para manter o controle de suas prioridades, anotá-las e, ocasionalmente, revê-los para todas as mudanças, adições e subtrações. Isso ajudará você a manter o foco no que é importante e vale a pena dar o seu tempo para.

4. Desenvolver sua filosofia – Como você define sua vida? Qual é a sua visão para seu futuro? É fundamental saber o que você acredita, o que / quem você está disposto a morrer e que as coisas em sua vida são opcionais. Alexander Hamilton disse: “Aqueles que estão para cair nada para nada”.

5. Seja fisicamente apto – À medida que envelhecemos e absorvido em nossas carreiras, vidas, metas, etc uma das áreas que muitas vezes esquecem é a nossa saúde. Isto tornou-se uma área vital para mim ao longo dos últimos anos e uma viagem que em pouco tempo me ensinou mais sobre mim do que qualquer coisa antes dele. Lembre-se, não desista de sua “saúde” em um esforço para ganhar a “riqueza”. Um corpo forte e leva a uma mente forte que leva a um futuro forte.

6. Saiba Seu Comércio – Seja sempre um aluno de seu comércio. O dia que você acha que não pode aprender alguma coisa sobre o seu comércio é o dia que você precisa para sair dela. Para ser mais bem sucedido em seu comércio, aprender, ganhar e voltar. o maior segredo é lembrar-se de dar a volta mais do que você receber.

7. pagar o preço – O sucesso não pode ser realizado sem sacrifício. Você já ouviu falar de tudo, “Nada na vida é fácil” “Tudo vale a pena ter vale a pena trabalhar para” declarações Estas e outras são profundas e não deve ser tomada de ânimo leve. O seu “ah hah” momento com um presente é quando você percebe e estão dispostos a aceitar que você pode sacrificar e não ver o sucesso, mas a confiança que aqueles que seguem vai colher o sucesso do seu sacrifício. Alguns poderiam chamá-lo de uma característica de liderança.

8. Desenvolver relações sólidas – No dia e na idade de meios de comunicação social a palavra “amigo” tem um significado totalmente novo. Relações sólidas são importantes porque maiores experiências da vida envolver as pessoas. Tive alguns dos melhores momentos da minha vida e deixou lembranças inesquecíveis com os caras que eu desenvolvei relações sólidas com, uma irmandade se você quiser. Tome um momento e rever as suas redes sociais “amigos”. Quantos você tem um relacionamento sólido com?

9. Preparação para o Futuro – Por natureza queremos sempre o maior e melhor. Isto é muito prevalente na Indústria de Eventos. Muitas vezes somos julgados pelo equipamento que levamos, a quantidade de luz que temos, quantas músicas na nossa biblioteca, etc… Enquanto estas coisas são vitais para o nosso artesanato, no grande esquema da vida o quão importante eles são? Considere viver a vida de tal maneira que você tem opções mais tarde, quando você jogou aquela música passada. Considere a compra do “segundo melhor” e salvar a diferença para a aposentadoria.

10. encontrar um propósito em sua vida – O verdadeiro sucesso vem de conhecer e executar seu propósito na vida. Nunca parar de crescer para o seu potencial máximo e continuar sementes de costura, mesmo que os outros apenas abaixo da linha de benefício a partir deles.  Não importa se você é 40, 20 ou 60 fazer uma auto-avaliação dessas 10 coisas e ver onde você está com eles. Você pode achar que você precisa para trabalhar em alguns e também estar bem onde você precisa estar com os outros. Lembre-se … Ou você é verde ou maduro e crescente!

Cardoso

 

Regis Danese – Tu Podes

Tu Podes

Regis Danese

Como Bartimeu eu preciso de um milagre
E só o Senhor pode fazer
Eu farei o que for preciso
Pra que ouça a minha voz

Filho de Davi socorre-me
Sem ti eu sou tão frágil
A tua mão me sustenta de pé
Mesmo que tudo se acabe ainda me resta a fé

O que eu não posso fazer tu podes
A mudança que eu preciso tu podes
O milagre que eu espero tu podes
Senhor vem me socorrer
O meu milagre Senhor eu tomo posse
A cura que eu preciso eu tomo posse
A minha benção Senhor eu tomo posse
Abro as mãos para receber

fonte tradução: http://www.vagalume.com.br/regis-danese/tu-podes-traduccion.html

Até que ponto a dependência atrapalha?

Por Rosemeire Zago ::

A dependência emocional é um dos aspectos que facilmente identificamos nos outros, mas raramente em nós mesmos. Quando alguém nos conta sobre seu relacionamento afetivo, imediatamente percebemos a dependência de um dos parceiros, ou até mesmo, de ambos. Mas será que somos dependentes e não percebemos?
Nem sempre uma pessoa dependente necessita do outro para tudo. Muitas vezes consegue ter independência financeira, mas é na parte emocional que encontra maior dificuldade em cuidar de si própria. Em geral, uma pessoa dependente tem como características principais pouca confiança em si mesma e baixa auto-estima, e o foco está em ser cuidada e protegida, sempre dependendo da aprovação, reconhecimento e aceitação do outro, por não ter consciência de seu valor pessoal. Acredita que precisa do outro mais do que de si mesma.

O desejo inconsciente de que alguém cuide de nós pode nos sujeitar a várias formas de dependência psíquica. Ser dependente é como pedir, ou muitas vezes, implorar: cuide de mim, pois eu não consigo, em todos os sentidos. Dificilmente uma relação verdadeira e autêntica suporta isso por muito tempo, pois qualquer relação deve ser baseada em trocas equivalentes e supõe pessoas inteiras, e como a pessoa dependente não consegue ter essa percepção de si mesma, acaba por gerar muitos conflitos.
A dependência emocional pode causar muitos conflitos nos relacionamentos. É um sinal de muita carência e, acima de tudo, a necessidade de amor, principalmente o amor por si mesmo. A dependência faz parte do ser humano. A dependência emocional por gerar muito sofrimento e pode levar a outras dependências, como drogas, álcool, tabaco, sexo ou outras formas de compulsão, pois o dependente emocional está sempre em busca de que algo ou alguém preencha seu vazio.

Segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, a dependência é catalogada como Transtorno da Personalidade Dependente, uma necessidade excessiva que leva a um comportamento submisso e aderente e ao medo da separação. Os comportamentos dependentes e submissos visam obter atenção e cuidados e surgem de uma percepção de si mesmo como incapaz de agir adequadamente sem o auxílio de outras pessoas. Utilizamos o termo dependência quando uma pessoa recorre continuamente a alguém para ser ajudada, guiada, sustentada na satisfação das próprias necessidades e não no desejo saudável de querer que o outro esteja ao seu lado.
Para que seja considerado um transtorno é preciso identificar ao menos cinco dos seguintes critérios:
– dificuldade em tomar decisões do dia-a-dia sem pedir os conselhos de outras pessoas;
– necessidade de que os outros assumam a responsabilidade pelas principais áreas de sua vida;
– dificuldade em discordar dos outros, pelo medo de perder apoio ou aprovação;
– dificuldade em iniciar projetos ou fazer algo por conta própria, por falta de confiança em sua capacidade e não por falta de energia ou motivação;
– chega a extremos para obter carinho e apoio dos outros, a ponto de se oferecer para fazer coisas desagradáveis;
– sente desconforto ou desamparo quando só, por sentir-se incapaz de cuidar de si próprio;
– busca um novo relacionamento urgente como fonte de carinho e amparo, quando um relacionamento íntimo é rompido;
– medo exagerado de ser abandonado.

A dependência emocional mostra uma pessoa fragilizada, fraca e carente, que pode causar muitos desequilíbrios em qualquer tipo de relacionamento. A dependência emocional é mais evidente na relação afetiva entre casais, mas também podemos encontrá-la entre pais e filhos, ou entre amigos. O assunto é tão sério que uma pessoa dependente pode fazer sacrifícios extraordinários ou tolerar abuso verbal, físico e até sexual, para evitar ser abandonada.
Os pais, avós, professores, têm um papel importante na formação e educação de todos nós; crianças que se sentiram abandonadas, rejeitadas, não amadas, tendem muito mais a dependerem do amor de outra pessoa, e vivem isso como condição de sobrevivência.
Pais superprotetores podem criar filhos dependentes quando adultos. Quem nunca precisou fazer nada por si mesmo, encontrando tudo pronto por pais que queriam acima de tudo suprir todas suas necessidades, com certeza encontrarão muita dificuldade em tornar-se independente. Pais que demonstram amor e confiança naquilo que a criança faz, com certeza quando adulta ela será muito mais segura de seu valor e muito menos dependente da aprovação e amor do outro.
Mesmo quando adultos desejamos ser protegidos por alguém, não no sentido material, mas principalmente no sentido de apoio emocional. Muitos acreditam que, a qualquer momento, em qualquer situação extrema, poderão contar com o socorro de alguém mais sábio e mais forte, o eterno salvador, incapaz de impedir seus fracassos. Desejar proteção é muito diferente da dependência doentia, que faz com que a pessoa mantenha uma relação mesmo que seja destrutiva, que a faça sofrer, chorar.

O primeiro passo para diminuir a dependência é ter consciência de seu comportamento, conhecer-se. Para conseguir realizar um processo de autoconhecimento e com isso, ter a percepção de seu valor, muitas vezes é preciso recorrer à psicoterapia com um profissional de sua confiança. Para abandonar a dependência é necessário identificar em que áreas de sua vida ela se faz presente e de que forma está comprometendo e causando conflitos em suas relações. O importante é se questionar sempre, analisando quando a dependência se torna um fato negativo, que cega e impede de crescer interiormente, tornando a existência um vício da presença do outro. Aprove-se mais, ame-se muito mais e dependa especialmente de você!

Rosemeire Zago é psicóloga clínica, com abordagem junguiana e especialização em Psicossomática. Desenvolve o autoconhecimento através de técnicas de relaxamento, interpretação de sonhos, importância das coincidências significativas, mensagens e sinais na vida de cada um, promovendo também o reencontro com a criança interior.
Conheça meu eBook sobre interpretação de sonhos: Os Sonhos e Seus Significados.

fonte: somostodosum

Leia também:

O que é beleza?

Como energizar sua casa com Feng Shui

A importância da meditação

Dicas para uma vida natural

2011 Escolha o MELHOR pra VOCÊ!

Reflexão para o Fim de Ano…

Quando nos olhamos no espelho, sempre vemos marcas que o tempo se incumbe
de nos ofertar; machucados por um acidente qualquer, linhas que o próprio tempo deixa,
olhos que exprimem sofrimento, alegria, tristeza, satisfação,  decepção, enfim,
vemos a matéria, ou seja, o resultado de nossa vida em forma física…
isso, vemos em nós mesmos e podemos ver nos outros…
mas a alma… ah… isso somente nós podemos ver e sentir,
quando se trata de nós mesmos.
Olhe para dentro de si e tente lembrar o que foi feito de bom ou ruim;
procure repetir as coisas boas, muitas e muitas vezes…
Erros? Não esqueça para não repeti-los…
Acontecimentos ruins involuntários, esqueça e pense que no futuro
virão muitas coisas boas e que  você será forte para enfrentar
quaisquer situações complicadas ou embaraçosas que possam aparecer.
Seja positivo(a), afinal há o livre arbítrio e é você quem decide
como quer viver a sua vida.
Escolha o melhor !

“Seja qual for o seu sonho – comece. Ousadia tem genialidade, poder e magia.” – Goethe.

Desejamos a você um Ano Novo repleto de saúde, paz, felicidade, amor e prosperidade.

Top Joy!


O que nos impede de alcançar a realização

Por Lygya Maya

A esperança sempre bate à nossa porta no ano que finda para dar lugar ao ano que começa.

Muita gente olha o ano velho com alívio e outros com pesar por várias razões. Com alívio temos o exemplo das pessoas que não conseguiram alcançar seus sonhos e se sentem frustradas, outras pessoas podem ter tido a notícia de um falecimento na família (como foi o meu caso) e este ter sido o ano que abraçamos um ente querido pela última vez.

Minha filosofia sobre a vida é simples: se estou viva, tenho a oportunidade de ser feliz e por isso mesmo vou fazer o meu melhor e, muitas vezes, o “anormal”(politicamente correto) para que a felicidade seja parte de minha experiência na terra.

Por essa razão, vou dedicar este artigo aos que ainda vivem e têm a oportunidade de aprender a grande lição que viemos aprender. Saber viver!

Quando usamos o poder de concentrar nossa mente e coração no “presente” , podemos imaginar um ano novo com uma vida nova, não é mesmo? Podemos também, com a força de nosso desejo, manifestar o que queremos por experiência própria. Mas então, porque será que a maioria das pessoas não manifestam seus desejos?

Você já pensou nisso? O que será que faz com que algumas pessoas alcancem mais do que outras? Às vezes, são pessoas que nós nunca poderíamos imaginar que alcançassem tal nível de realização. Notem que não menciono sucesso profissional ou pessoal, porque sucesso é relativo em se tratando de uma pessoa para outra. Porém realização é mais do que sucesso.

Sucesso pode ser financeiro, reconhecimento da família ou de um público, etc. Já a realização é algo interno, muito raro entre nós, tão raro que você conta nos dedos as pessoas que passaram pela sua vida e disseram com convicção; “Sou uma pessoa realizada” .

Acho que a “realização” não conta como prioridade na vida de muitas pessoas: o sistema educacional não explora esse assunto nas escolas e os seres humanos crescem sem ter paixão pelo que fazem e, por isso, leva a maior parte da vida e/ou toda a vida, trabalhando somente para ganhar o salário ou a comissão. Com isso, as pessoas “sobrevivem” antes e depois da aposentadoria. Aposentadoria essa que se prestarmos atenção ao sistema político brasileiro, é reduzida cada vez mais enchendo de vergonha e indignação os brasileiros mais bravos e patrióticos.

Nos Estados Unidos, muitas pessoas depois dos 50-60 anos ainda se aventuram a abrir as portas do seus sonhos de criança e/ou adolescência, conseguindo enfeitar seus dias com “realização” por aquilo que é sua missão na Terra.

Na minha opinião, o que nos impede de manifestar nossos desejos são os seguintes fatores:

· Ignorância da pessoa sobre si mesma, ou seja, o que realmente deseja no fundo do coração

· Medo

· Falta de disciplina

Ignorância sobre si

– Para que possamos ultrapassar desafios, precisamos ter conhecimento sobre nós mesmos em relação a vida. Se temos o poder de criar vidas, tenho certeza que também podemos criar situações que nos proporcionem alegria e saúde.

Como ativar nosso poder de manifestação?

Lendo, aprendendo, experimentando e praticando para manifestar o que queremos sendo Ano Novo ou não.

A falta de autoconhecimento nos LIMITA porque o mundo dentro de nós fica desconhecido e isso acaba criando INSEGURANÇA/ MEDO.

Medo

Para que serve o medo?

Resposta: O medo nos serve para proteger e defender de algum perigo.

Existem dois tipos de medo:

1) O medo que a natureza nos deu, para nos proteger de um perigo real, e

2) O medo que criamos por causa de experiências na nossa infância.

– Medo de rejeição

– Medo de amar

– Medo da solidão

– Medo do sucesso

Autodisciplina

A autodisciplina é uma qualidade que nos ajuda a tornar nossos desejos possíveis. Com ela podemos nos tornar pessoasextraordinárias. As pessoas indisciplinadas mesmo tendo tudo nas mãos – educação, oportunidade e dinheiro – dificilmente conseguirão alcançar mais do que a mediocridade.

Pode ser que você pense neste momento que será difícil se disciplinar já que não tem tempo, energia, ou dinheiro. As razões que usamos para NÃO fazer algo que nos beneficie são muitas vezes “lógicas”, e pela lógica das coisas você limita sua possibilidade de vitória em relação ao que deseja para si.

Mas as pessoas bem sucedidas não usam somente a “lógica”. Elas usam também as emoções para impulsioná-las além do normal. Vencem muitas barreiras em qualquer idade.

Que você use seu poder 100% e manifeste sua realização o mais depressa possível.

Ser feliz não é uma questão de destino. É uma questão de escolha!”

Lygya Maya

Pode gostar de:
Cinco dicas para nos libertar na encruzilhada da vida
Como não se sentir abandonado(a)

Como não se sentir abandonada (o)

Por Lygya Maya

De acordo com nossa interpretação se alguém que amamos sai de nossa vida, seja fisicamente, emocionalmente ou espiritualmente, fomos abandonados. Assimilando esta interpretação  e este sentimento,  temos a impressão que somos limitados por não ter conseguido manter aquele alguém perto ou  nos amando.

Para alguns, pronto, acabou o mundo. O drama toma conta da vida dessas pessoas e, por muitas vezes, as leva a extremas consequências como doenças emocionais, mentais, espirituais, físicas e até a morte.

O que podemos fazer ou pensar para que este fato não nos atinja de uma maneira catastrófica como atinge milhares de seres humanos?

Bom, vamos pensar juntos: se o sentimento produzido por nós mesmos foi criado por causa de nossa interpretação do fato, então é óbvio que temos o poder de recriar uma nova interpretação para esse fato, concorda? Essa é a chave do poder humano que muitos não usam por ignorância do próprio poder.

Esse poder de criar que temos pode tanto nos destruir quanto nos aprimorar, cabe a nós decidir onde e como focar nossa mente.

O que fazer para aprimorar nossas vidas? Podemos fazer 3 coisas:

1) Mudar a interpretação que traz sofrimento imediatamente.

Por exemplo: Qual é o oposto da interpretação que nos leva a sofrer? Que somos ilimitados e capazes de mudar a nossa vida para melhor aconteça o que acontecer. Portanto, temos as opções de pensar que:

a)      Somos fortes o suficiente para vivermos sozinhos

b)      Temos outras pessoas que nos amam e/ou amarão no futuro

c)       Há males que vem para o bem

d)      Antes só do que mal acompanhada (o)

e)      Mudança em nossa vida é sempre bom. Sabe porquê? Por que sempre poderemos aprender com isso.

2) Agir daí por diante com mais amor próprio do que antes

Por exemplo:  O que lhe traz mais alegria e felicidade na vida?

a)      Faça uma lista de situações e coisas que lhe fazem feliz

b)      Escreva um plano organizado em que essas situações e coisas possam ser parte de sua vida

c)       Organize sua vida de acordo com o plano para que sua lista seja manifestada e curtida por você.

3) Ser um eterno aprendiz

a)      O que pode ser aprendido da lição que a vida nos deu?

b)      O que fazer para não repetir a dor e o sofrimento na vida?

c)       Como seria possível ser uma pessoa tão desejável  e querida que seria difícil deixar ou se desligar?

Entendeu o raciocínio?

Podemos usar o fato de uma pessoa  sair de nossa vida como uma excelente lição para o nosso aprendizado e evolução ao invés de lástima, frustração e estresse dramático e deprimente.

A i esta a chave do poder  de um ser interpretar os fatos de uma maneira positiva visando a um resultado gratificante.

Assim sendo, o abandono (ou ausência de outrem) se torna uma experiência digna de um guerreiro ou guerreira se tornar um(a) vitorioso(a)  na batalha da realização pessoal e profissional para sempre.

Afinal de contas, você nasceu só por alguma razão.

Sua no aprendizado sobre si.

Lygya Maya

 

Pode gostar de:
Cinco dicas para nos libertar na encruzilhada da vida
Reflexão de um novo ano

 

Cinco dicas para nos libertar na encruzilhada da vida

Por Lygya Maya

Em qualquer estrada da vida, existem curvas, desvios e encruzilhadas. Talvez a encruzilhada seja o desafio mais desconcertante que nós encontramos no caminho. Com quatro caminhos para escolher e com conhecimento limitado sobre onde eles vão dar podemos facilmente ser levados ao caminho errado.

Qual é a garantia de que vamos escolher o caminho certo? Será que escolhermos apenas um caminho qualquer, ou apenas permanecermos onde estamos: na frente de um cruzamento confuso? O que seria o mais inteligente escolher?

Não há garantias na vida.

Realmente não sabemos onde uma estrada irá nos levar antes da nossa decisão. Não há quaisquer garantias. Esta é uma das coisas mais importantes que precisamos ser conscientes sobre a vida e as escolhas que faremos. Ninguém pode gurantir que nossa escolha vai ser a certa o tempo todo, e sempre nos levará à felicidade. Amar alguém de todo o coração não garante que esse alguém devolverá esse amor no mesmo nível. Ganhar fama e fortuna não garante felicidade tampouco senão nenhuma celebridade sofreria e morreria de overdose como estamos acostumados a ler na mídia. A realidade é que não podemos controlar as pedras do caminho. A única coisa que temos é o poder sobre as decisões que vamos tomar, e como vamos agir e reagir a situações diferentes.

Decisões erradas estão sempre incluidas no processo da aprendizagem.

Se tivessemos sabido que estavamos fazendo uma decisão errada, será que teriamos escolhido ter ido por onde fomos? Talvez não, por que escolheriamos um certo caminho quando sabiamos que iriamos ficar perdidos? Por que tomar uma determinada decisão se soubessemos desde o início que não é o caminho certo? É só depois de ter tomado uma decisão e refletir sobre isso que podemos realizar a solidez do fato. Se as conseqüências ou resultados são bons para nós, então saberemos que decidimos corretamente. Caso contrário, nossa decisão foi errada.

Assumir o risco de tomar uma decisão.

Como a vida não oferece garantias e nunca saberemos que nossa decisão foi errada até que tenhamos feito isso, então assumir o risco e decidir é definitivamente melhor do que manter-se na frente da encruzilhada sem se mover. Embora seja verdade que uma manobra errada pode nos deixar perdidos, poderiamos também pensar que tal fato poderia ser uma oportunidade para uma aventura, inclusive abrir mais estradas e possibilidades. É tudo uma questão de perspectiva. Temos a escolha entre ser um viajante perdido ou um turista acidental da vida.

Aqui estão 5 dicas que podem ajudar você a escolher a melhor opção diante de algumas encruzilhadas na vida:

✺ Obtenha o máximo de informações possível sobre a sua situação.

Não podemos encontrar a confiança necessária para decidir quando sabemos tão pouco sobre o que enfrentar adiante. Assim como qualquer repórter, tem de fazer as perguntas certas: o que, quem, quando, onde e porquê. Qual é a situação? Quem são as pessoas envolvidas? Quando isso aconteceu? Onde está esse líder? Por que você está nesta situação? Estas são apenas algumas das perguntas para nos ajudar a saber mais sobre a situação. Isso é importante. Muitas vezes, o motivo da indecisão é a falta de informações relativas a uma situação.

✺ Identificar e criar algumas opções.

Quais as opções que aquela situação nos dá? Às vezes, as opções são poucas, mas às vezes são numerosas. Mas o que fazer quando a situação não oferece opções? Este é o momento que podemos criar nossa própria opção. Fazer nosso trabalho usando a mente e a criatividade . Do mais simples ao mais complicado, entreter todas as idéias. Não ignorar nada uando uma idéia vem à sua cabeça. Às vezes a idéia mais extravagante poderá ser o caminho certo no final. Podemos pedir a um amigo para ajudar a identificar as opções e até mesmo fazer mais opções se encontrarmos alguma dificuldade, mas tomar a decisão no final é imprescindivel para o aprendizado de vida que este processo oferece.

✺ Pese os prós e os contras de todas as opções

Devemos avaliar cada opção, olhando para as vantagens e desvantagens que elas nos oferecem. Desta forma, teremos uma ideia mais clara sobre as conseqüências de tal opção.

✺ Confie em si e tome a decisão.

Agora que avaliamos nossas opções, é hora de confiar em nós mesmos. Lembre que não existem garantias e decisões erradas, estas estão sempre incluidas no pacote da aprendizagem. Então, decidir, escolher e acreditar que estamos escolhendo a melhor opção é a solução.

Agora que já tomamos uma decisão, devemos estar preparados para enfrentar as conseqüências desta decisão: sendo boa ou ruim. Podemos ir para um lugar de riqueza e felicidade ou a uma situação de preocupação e problemas. Mas o importante é que fizemos nossa escolha para viver nossa vida ao invés de permanecer um espectador em nossa vida. Se essa é a decisão certa ou não, só o tempo dirá. Mas não devemos nos arrepender e ficar debatendo sobre o que foi decidico, seja qual for o resultado. Em vez disso, aprendemos com a escolha e nunca se esqueça que sempre teremos a chance de tomar decisões mais acertadas no futuro.

✺ Se divirta com suas decisões

O que é melhor? Atuar como uma pessoa seríssima, certissima, e chatíssima ou se divertir aprendendo com nossas imperfeições?

De uma coisa eu tenho certeza, quando decidimos que teremos de ser perfeitos em tudo que fazemos, teremos muito mais chances de adoecer, nos estressando e frustrando até perdermos o sabor de viver como um aprendiz, que é justamente o que viemos fazer aqui.

Sua nas decisões e imperfeições

Lygya Maya

Decore sua casa e deixe-a mais Zen!

Quer emocionar alguém especial? Dê um bom livro virtual de presente!

REFLEXÃO DE ANO NOVO !!!

 

Momentos há em nossas vidas que precisamos reagir, lutar contra nossos monstros interiores.

Buscar coragem e energia para prosseguir…

São momentos delicados, de tomadas de consciência, aonde analisamos tudo o que fizemos, tudo pelo qual passamos e sofremos, tudo o que aprendemos, enfim, tudo o que nos fez crescer, amadurecer e chegar até aqui…

É importante voltar a atenção para os nossos sentimentos mais profundos e refletir sobre eles.

Ver nossos erros e acertos, nossas dúvidas e temores, mas ver também nossos momentos de coragem e de saudável audácia, de êxitos felizes…

É preciso que façamos um balanço de nossas atitudes e, para isto,

não precisamos determinar datas, pois sabemos que em nosso íntimo sempre surgirá um novo amanhã, e que ele será de acordo com o que acreditarmos.

Basta para isso que, ao fazer esta reflexão, sejamos o mais sincero possível conosco mesmo, pois sabemos que o nosso amanhã será sempre o início de um “Novo Ano”, pois ele realmente acontece no momento em que nos predispusermos a mudar, a investir em nossos sonhos e objetivos, acreditar que os anseios mais secretos do nosso coração serão possíveis, a medida em que nos empenharmos para a sua realização.

Sabemos que isto não é fácil, e, muitas vêzes, constataremos que existirão atitudes a serem tomadas que dependem exclusivamente de nós.

Daí a importância de acreditarmos que devemos colocar nosso objetivo a ser alcançado, a Felicidade, unicamente em nossas mãos.

Se soubermos que tais anseios dependem da atitude de outras criaturas, busquemos em nosso íntimo repensar em como podemos agir,

para que dependa, única e exclusivamente de nós, o encontro com essa felicidade.

Muitas vêzes é o nosso modo de pensar que não está correto…

Outras vêzes, por ser mais cômodo, nos adaptamos com mais facilidade à situação, transferindo assim ao outro a responsabilidade que deveria ser unicamente nossa…

Cabe a nós, portanto, este esforço, de novamente, retomarmos em mãos as rédeas de nossas vidas, achando uma solução em nosso interior que nos fortaleça, nos impulsione, que faça com que sintamos em nós a luz de uma esperança a brilhar sempre em nosso coração.

Pois somente assim conseguiremos avançar e ter a certeza que, a cada dia, teremos novas chances de recomeçar!

FELIZ ANO NOVO !!!

FELIZ VIDA NOVA !!!

FELIZ VOCÊ A CADA DIA !!!

 

 

“Felicidade e Alegria”

Texto de Contardo Calligaris

“Ser alegre (muito melhor do que ser feliz) é gostar de viver mesmo quando a vida nos castiga”

Quando eu era criança ou adolescente, pensava que a felicidade só chegaria quando eu fosse adulto, ou seja, autônomo, respeitado e reconhecido pelos outros como dono exclusivo do meu nariz.
Contrariando essa minha previsão, alguns adultos me diziam que eu precisava aproveitar bastante minha infância ou adolescência para ser feliz, pois, uma vez chegado à idade adulta, eu constataria que a vida era feita de obrigações, renúncias, decepções e duro labor.
Por sorte, 1) meus pais nunca disseram nada disso; eles deixaram a tarefa de articular essas inanidades a amigos, parentes ou pedagogos desavisados; 2) graças a esse silêncio dos meus pais, pude decretar o seguinte: os adultos que afirmavam que a infância era o único tempo feliz da vida deviam ser, fundamentalmente, hipócritas; 3) com isso, evitei uma depressão profunda pois, uma vez que a infância e a adolescência, que eu estava vivendo, não eram paraíso algum (nunca são), qual esperança me sobraria se eu acreditasse que a vida adulta seria fundamentalmente uma decepção?
Cheguei à conclusão de que, ao longo da vida, nossa ideia da felicidade muda: 1) quando a gente é criança ou adolescente, a felicidade é algo que será possível no futuro, na idade adulta; 2) quando a gente é adulto, a felicidade é algo que já se foi: a lembrança idealizada (e falsa) da infância e da adolescência como épocas felizes.
Em suma, a felicidade é uma quimera que seria sempre própria de uma outra época da vida -que ainda não chegou ou que já passou.
No filme de Arnaldo Jabor, “A Suprema Felicidade”, o avô (extraordinário Marco Nanini) confia ao neto que a felicidade não existe e acrescenta que, na vida, é possível, no máximo, ser alegre.
Claro, concordo com o avô do filme. E há mais: para aproveitar a vida, o que importa é a alegria, muito mais do que a felicidade. Então, o que é a alegria?
Ser alegre não significa necessariamente ser brincalhão. Nada contra ter a piada pronta, mas a alegria é muito mais do que isso: ser alegre é gostar de viver mesmo quando as coisas não dão certo ou quando a vida nos castiga. É possível, aliás, ser alegre até na tristeza ou no luto, da mesma forma que, uma vez que somos obrigados a sentar à mesa diante de pratos que não são nossos preferidos ou dos quais não gostamos, é melhor saboreá-los do que tragá-los com pressa e sem mastigar. Melhor, digo, porque a riqueza da experiência compensa seu caráter eventualmente penoso.
Essa alegria, de longe preferível à felicidade, é reconhecível sobretudo no exercício da memória, quando olhamos para trás e narramos nossa vida para quem quiser ouvir ou para nós mesmos. Alguém perguntará: é reconhecível como?
Pois é, para quem consegue ser alegre, a lembrança do passado sempre tem um encanto que justifica a vida. Tento explicar melhor.
Para que nossa vida se justifique, não é preciso narrar o passado de forma que ele dê sentido à existência. Não é preciso que cada evento da vida prepare o seguinte. Tampouco é preciso que o desfecho final seja sublime (descobri a penicilina, solucionei o problema do Oriente Médio, mereci o Paraíso).
Para justificar a vida, bastam as experiências (agradáveis ou não) que a vida nos proporciona, à condição que a gente se autorize a vivê-las plenamente.
Ora, nossa alegria encanta o mundo, justamente, porque ela enxerga e nos permite sentir o que há de extraordinário na vida de cada dia, como ela é.
É óbvio que não consegui explicar o que são a alegria e o encanto da vida. Talvez eles possam apenas ser mostrados: procure-os em “Amarcord” (1973), de Federico Fellini, em “Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas” (2003), de Tim Burton ou no filme de Jabor. “A Suprema Felicidade” me comoveu por isto, por ter a sabedoria terna de quem vive com alegria e, portanto, no encantamento.
Segundo Max Weber (1864-1920), a racionalidade do mundo industrial teria acabado com o encanto do mundo. Ultimamente, bruxos, vampiros, lobisomens, deuses e espíritos andam por aí (e pelas telas de cinema); aparentemente, eles nos ajudam a reencantar o mundo.
Ótimo, mas, para reencantar o mundo, não precisamos de intervenções sobrenaturais. Para reencantar o mundo, é suficiente descobrir que o verdadeiro encanto da vida é a vida mesmo.


publicidade

Coquelux, Especial de Natal, As melhores marcas com ofertas imperdíveis até 90% OFF, Só até 6 de dezembro
Coquelux é um clube exclusivo para membros, aproveite seu convite e cadastre-se: é seguro e gratuito.
Diesel, Armani, Revlon, Bolsas de Acervo, Dom Pérignon, Moët & Chandon e Fila


Cadastre-se acesse aqui.

Onde está o seu brilho?

Existem pessoas que brilham e conseguem iluminar a todos no ambiente onde estão. Sua luz consegue contaminar, levando alegria, paz, amorosidade, ânimo, onde quer que se encontrem, mas, em determinado momento de suas vidas, esse brilho some… se apaga. Aqueles que estão à sua volta, perguntam: “O que aconteceu? Onde está seu brilho?” Pior ainda é seu próprio questionamento: “O que aconteceu comigo? Minha chama se apagou? Ou será que nunca a tive? Foi tudo ilusão?”

Na nossa vida passamos por muitos momentos bons, e também aqueles que nos trazem infelicidade e sofrimento. Sabemos que nas horas ruins é muito difícil enxergar que estamos evoluindo, pois a dor traz aprendizado e crescimento, mas quem quer sofrer conscientemente para que isso aconteça?

Embora a maioria consiga perceber que logo após uma crise ocorrem muitas mudanças e, quase sempre, para melhor, continuam repetindo os mesmos padrões e, sofrendo. Algumas ficam no vitimismo, outras na crença de culpa, do Karma, outras preferem revoltar-se contra o meio externo. Porém, poucos silenciam e observam sem censura ou crítica como estavam, o que pensavam e sentiam em cada uma das etapas de vida, boas ou ruins.

Nos momentos felizes, estamos com o coração aberto e receptivo, em paz, cheio de amor, tranqüilo, com a capacidade de olhar tudo com beleza, com ritmo e alegria. Ao enfrentarmos dificuldades, fechamos o coração e ficamos presos nas emoções não resolvidas, ” preocupados” em achar uma solução através do nosso cérebro para a dor que estamos sentindo e, assim, acabamos refletindo no exterior aquilo que se encontra em nosso interior.

Se assumirmos total responsabilidade pela nossa vida e identificarmos que todos os acontecimentos e experiências são conseqüência da maneira como pensamos e sentimos, podemos conseguir tudo o que quisermos e mudar a vida para melhor. Isso é ser co-criador.

Para isso precisamos reconhecer que o verdadeiro criador, cria só com muito amor, principalmente, consigo mesmo. O coração que não brilha, fica paralisado, endurecido e desmotivado pelas marcas que a vida lhe deixou e esquece dele mesmo. Esquecido, não consegue mais encontrar as respostas que só ele pode dar.

Ficamos perdidos nos nossos sentimentos e brigando com a razão; como pensamentos e sentimentos precisam estar sintonizados para que estejamos felizes e centrados, criamos um enorme abismo para encontrar a paz.

Sem nenhuma utopia, todo obstáculo a uma vida mais feliz está em nosso próprio coração afastado do amor e é só no coração que podemos superá-lo. Não precisamos ficar esperando que o céu desça aqui na Terra, que todo homem seja bom e tudo se transforme, porque com o coração aberto e amoroso o céu já se encontra aqui!

Ele está nos nossos olhos quando enxergamos com compaixão e nas nossas mãos quando a estendemos para auxiliar alguém. E na nossa mente quando conseguimos ver o bem e o belo, no lugar do mal.

A maneira como vemos o mundo determina como ele será para nós. Não podemos mudar a realidade dos homens, do mundo, só podemos mudar a nós mesmos e passaremos a refletir o brilho da divindade que existe dentro de nosso coração. E será esse brilho divino que irá, aos poucos, iluminando e mudando tudo à nossa volta

Onde está o seu brilho?

Ontem?… Isso faz tempo!…

Amanhã pode ser tarde

Ontem?…Isso faz tempo!…

Amanhã?…Não nos cabe saber…

Amanhã pode ser muito tarde

Para você dizer que ama,

Para você dizer que perdoa,

Para você dizer que desculpa,

Para você dizer que quer tentar de novo…

Amanhã pode ser muito tarde

Para você pedir perdão,

Para você dizer:

Desculpe-me, o erro foi meu!…

O seu amor, amanhã, pode já ser inútil;

O seu perdão, amanhã, pode já não ser preciso;

A sua volta, amanhã, pode já não ser esperada;

A sua carta, amanhã, pode já não ser lida;

O seu carinho, amanhã, pode já não ser mais necessário;

O seu abraço, amanhã, pode já não encontrar outros braços…

Porque amanhã pode ser muito…muito tarde!

Não deixe para amanhã para dizer:

Eu amo você!

Estou com saudades de você!

Perdoe-me!

Desculpe-me!

Esta flor é para você!

Você está tão bem!…

Não deixe para amanhã

O seu sorriso,

O seu abraço,

O seu carinho,

O seu trabalho,

O seu sonho,

A sua ajuda…

Não deixe para amanhã para perguntar:

Por que você está triste?

O que há com você?

Ei!…Venha cá, vamos conversar…

Cadê o seu sorriso?

Ainda tenho chance?…

Já percebeu que eu existo?

Por que não começamos de novo?

Estou com você. Sabe que pode contar comigo?

Cadê os seus sonhos? Onde está a sua garra?…

Lembre-se:

Amanhã pode ser tarde…muito tarde!

A Vida – Clarice Lispector

Há momentos na vida em que sentimos tanto
a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la.
Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.
Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.
As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.
A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.
O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.
A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar
duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre.

A sabedoria na vida cotidiana

Ninguém, por sua espontânea vontade, gostaria de ter aborrecimentos, preocupações e problemas. Entretanto, mesmo procurando evitá-los, a maioria das pessoas não o consegue. Uns se atormentam porque alguém da família agiu de maneira errada; outros se afligem porque o filho esbanja demais; outros sofrem porque alguém ficou doente…

Contudo, ficar preocupado, irritado ou nervoso não contribui nem um pouco para solucionar os problemas. Pelo contrário, só serve para dificultar a solução. O importante é serenar a mente, penetrar no âmago da questão, descobrir a causa mental e orar, praticando a Meditação Shinsokan a fim de concentrar a nossa mente em Deus e dEle receber a sabedoria para solução do problema.

Pode ser que o seu problema lhe pareça extremamente difícil. Mas, aos olhos de Deus, não existem problemas difíceis. Mesmo que tudo ao redor desmorone e toda a sua economia se perca, não se desespere. Deus pode reconstituir para você uma situação muito melhor que a anterior e fazer com que você acumule uma fortuna muito maior que a anterior. Reflita sobre o fato de que todas as estrelas do Universo, bem como todos os animais, minerais e vegetais da face da Terra foram criados por Deus.

Lembrando-se de que Deus é a fonte dessa grandiosa força que criou o Universo, você compreenderá facilmente que Ele possui a força para resolver facilmente os mais complexos problemas dos homens, reparar os maiores estragos e criar um mundo muito mais abundante que o anterior.

Embora isso seja tão fácil de compreender, há pessoas que não conseguem aceitar essa Verdade. Mesmo compreendendo teoricamente, muitas vezes essa compreensão permanece apenas no cérebro e não penetra até o âmago do subconsciente. Por esse motivo devemos, em todas as oportunidades – principalmente durante a Meditação Shinsokan –, mentalizar que a grandiosa força de Deus está presente em nós e fazer com que essa Verdade se infiltre no nosso subconsciente.

A consciência de união com Deus

Se você adquirir realmente a consciência de união com Deus, todos os seus desejos serão concretizados. Ame mais positivamente, mais generosamente e mais desinteressadamente. Com certeza será descortinada uma nova vida diante de você. Não há nenhum motivo para se preocupar ou temer. Se você não consegue evitar as preocupações ou temores, é porque ainda não é verdadeira a consciência de que você é um com Deus. Não sendo total a sua consciência de união com Deus, você não tem confiança em si mesmo, não está seguro da sua própria capacidade. Tenha mais autoconfiança e acredite mais na sua capacidade.

Para isso, ore com mais profundidade. Pratique a Meditação Shinsokan com mais fervor e maior freqüência. Com isso, você tornará mais profunda a consciência de união com Deus, terá confiança em si mesmo e na sua capacidade, não sentirá mais insegurança ou temor diante de problema algum, e conseguirá a concretização de tudo o que desejar.

Os bens de Deus

Deus é infinito. Quanto mais você abrir o canal da sua mente, com maior facilidade chegará a provisão ilimitada de Deus. Não tenha pensamentos mesquinhos. A mesquinhez estreitará o canal de sua mente. Materializa-se aquilo que se forma na mente.

Devemos considerar tanto a capacidade como o dinheiro que possuímos como bens de Deus confiados sob a nossa administração, e não como propriedades nossas. Precisamos cuidar bem deles, aplicando-os nas finalidades que mais agradem a Deus.

Quando soltamos o que possuímos é que recebemos a nova provisão. O ar existe em quantidade infinita, mas, se ficarmos apenas inspirando e não expirarmos, não poderemos receber a nova provisão de ar e acabaremos nos sentindo sufocados. Quando soltamos o ar, parece que estamos perdendo-o, mas só assim recebemos a nova provisão de oxigênio, o que possibilita o metabolismo e a manutenção da nossa saúde. Dando o que possuímos agora é que recebemos a nova provisão. Este mundo é mantido graças à circulação e ao metabolismo. O homem vive enquanto se processam a circulação e o metabolismo, e morre quando eles cessam.

Habito de chamar por Deus

Chame sempre por Deus, mesmo quando não existem problemas. Chame por Deus também quando há problemas. Mesmo que não chame, Deus está sempre envolvendo você, está dentro de você, pronto para orientá-lo. Mas, se você não tiver o hábito de chamar por Deus, não conseguirá ouvir a Sua voz no momento decisivo. Deus é Espírito e, portanto, a Sua voz também é espiritual. Logo, é natural que ela não seja audível a seus ouvidos carnais. É preciso praticar sempre a Meditação Shinsokan para adquirir o hábito de chamar Deus e ouvir intuitivamente o murmúrio espiritual de Deus.

Qualquer que seja o acontecimento, esse fenômeno nada mais é que conseqüência de algo. Não adianta ficarmos mexendo na conseqüência. Mesmo que consigamos solucionar momentaneamente o problema fenomênico, ele tornará a aparecer repetidas vezes, enquanto não for eliminada a causa. O meio para eliminarmos a causa consiste em volvermos a mente para Deus e corrigirmos a atitude mental sob orientação divina.

(Do livro ‘Sabedoria da Vida Cotidiana’)

Publicidade: O Caminho da Sabedoria (Portuguese Edition) Amazon.com

Falar é fácil – Carlos Drummond de Andrade

Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.

Difícil é expressar por atitudes e gestos o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

 

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.

Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.

 

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.

Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso. E com confiança no que diz.

 

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.

Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer. Ou ter coragem pra fazer.

 

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.

Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende. E é assim que perdemos pessoas especiais.

 

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.

Difícil é mentir para o nosso coração.

 

Fácil é ver o que queremos enxergar.

Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto. Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

 

Fácil é dizer ” oi ” ou ” como vai ? “

Difícil é dizer “adeus”. Principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas…

 

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.

Difícil é sentir a energia que é transmitida. Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.

 

Fácil é querer ser amado.

Difícil é amar completamente só. Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar. E aprender a dar valor somente a quem te ama.

 

Fácil é ouvir a música que toca.

Difícil é ouvir a sua consciência. Acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

 

Fácil é ditar regras.

Difícil é seguí-las. Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

 

Fácil é perguntar o que deseja saber.

Difícil é estar preparado para escutar esta resposta. Ou querer entender a resposta.

 

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.

Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

 

Fácil é dar um beijo.

Difícil é entregar a alma. Sinceramente, por inteiro.

 

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.

Difícil é entender que somente uma vai te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

 

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.

Difícil é ocupar o coração de alguém. Saber que se é realmente amado.

 

Fácil é sonhar todas as noites.

Difícil é lutar por um sonho.

 

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.

 

%d blogueiros gostam disto: