Mundo Pet: Vacinação em cães e gatos

Para bem estar de todos, vacine seu animal.

Vacinação em cães e gatos

 

Cães e Gatos hoje em dia praticamente fazem parte da família, muitos vivem dentro de casa em contato direto com as pessoas, principalmente com crianças. É muito importante que além do cuidado com a higiene, haja também um cuidado especial com a saúde dos animais. A principal forma de evitar doenças em cães e gatos é através da vacinação.

Quando filhotes, cães e gatos, devem ser vacinados mensalmente após o desmame, no segundo mês de vida. A partir do término deste esquema, o reforço deverá ser anual.

Atenção! Enquanto seu filhote não estiver com todas as vacinas em dia ele não deverá sair de casa, e tome cuidado para que ele só tenha contato com animais saudáveis.

Vacinação em cães e gatos

Exemplo do esquema Vacinal de Cães:

45 dias de vida – Primeira dose V8 ou V10
65 dias de vida – Segunda dose V8 ou V10
95 dias de vida – Terceira dose V8 ou V10 + Anti- Rábica

A vacinação dos cães protege contra diversas doenças: Cinomose, Hepatite Infecciosa, Leptospirose (4 diferentes sorovares), Parainfluenza, Coronavirose, Parvovirose e Raiva. 

Exemplo do esquema Vacinal de Gatos:

60 dias de vida – Primeira dose da quintupla felina
90 dias de vida – Segunda dose da quintupla felina + Anti-Rábica

A vacinação dos gatos protege contra diversas doenças: Panleucopenia, Rinotraqueíte, Calicevirose, Clamidiose, Leucemia Felina e Raiva.

 

Mundo Pet: Necessidades nutricionais em cães e rações comerciais

Você sabe qual tipo de ração é ideal para seu cão?

Necessidades nutricionais em cães e rações comerciais

Antigamente o cão era considerado estritamente carnívoro. Atualmente com o desenvolvimento de pesquisas em nutrição animal, a espécie canina é classificada como onívora, ou seja, possui uma alimentação variada, porém, a proteína constitui um dos principais elementos da sua dieta.

As principais necessidades nutricionais de um cão são:

• Proteínas: para construção e regeneração dos tecidos, músculos, estruturas nervosas, hormônios e enzimas. Também são componentes necessários das hemoglobinas e anticorpos.

• Carboidratos: para a obtenção de energia.

• Gorduras: para a saúde da pele e dos pelos e também obtenção de energia.

• Vitaminas e minerais: para equilíbrio dos líquidos corporais, crescimento e desenvolvimento da estrutura óssea, e reações químicas vitais no corpo.

• Água: essencial para todos os processos que ocorrem no corpo, desde a absorção de nutrientes até a eliminação de toxinas.

• Fibras: para um bom trânsito intestinal. Em algumas patologias como, por exemplo, a diabetes, a fibra é necessária para que a glicose ingerida na alimentação seja liberada e absorvida de forma mais lenta.

A quantidade de calorias que um cão necessita, varia de acordo com a raça, tamanho, nível de atividade física; além de outros fatores como idade, gravidez, lactação, estado de saúde, etc.

Existem no mercado diferentes marcas e classificações de rações comerciais. É importante entender algumas nomenclaturas para facilitar a escolha da ração.

Rações Super-Premium: São produtos extremamente balanceados nutricionalmente e produzidos com alta tecnologia. Utilizam as melhores matérias-primas em sua formulação, com ingredientes especiais, de alto valor nutricional, o que confere ao produto maior palatabilidade e digestibilidade. O animal come pouca quantidade e produz um menor volume de fezes.

Rações Premium: São produtos balanceados de boa qualidade. Utilizam ingredientes bons, porém de qualidade inferior a rações super-premium. Sua digestibilidade também é um pouco inferior.

Rações Standard: São formulações que utilizam matéria-prima de baixa qualidade. Podem sofrer alterações em sua fórmula de acordo com a safra de determinado ingrediente. Utilizam formatos diferenciados e corantes como atrativos comerciais. Possui baixa digestibilidade, o que faz com que o animal tenha que comer uma quantidade maior de ração para absorver o necessário.

Mundo Pet: Como alimentar corretamente cães e gatos

Ração ou comida de casa?

Ração animal

É obrigatório dar ração para os cães e os gatos? Não, o que é obrigatório é dar uma alimentação saudável e balanceada. E isso é mais facilmente alcançado com uma ração de qualidade do que com sobras de comida.

O que é um alimento balanceado? É um alimento no qual estão presentes os principais nutrientes, combinados entre si e que proporcionam uma melhor absorção e nutrição. Os principais nutrientes são as proteínas, os carboidratos, as gorduras, as vitaminas e os minerais. Uma comida caseira pode ser gostosa para seu bicho, mas carente de alguns destes itens.

Exemplo: fubá com carne moída. Tem carboidratos e proteínas, e alguns cães adoram. Mas e o resto dos nutrientes? Não tem! É uma alimentação carente de vitaminas e minerais, e isso vai se refletir em um animal não muito saudável nem muito bonito.

Qualquer ração serve? Não. Existem muitas rações nas quais os ingredientes não têm muita qualidade e, sendo assim, a alimentação também fica carente. Então a regra é a seguinte: tem de ser uma ração boa ou uma comida muito bem balanceada.

Apenas repetir as refeições da família para o bicho não é legal. Como é difícil para quem não é nutricionista fazer um planejamento alimentar, fica bem mais fácil apostar na ração de qualidade.

Alimentação inadequada pode causar doenças

Cachorro e gato olhando prato de comida

Vejo muitos casos de intoxicações alimentares em cães provocadas por salsichas, linguiças, carnes cruas ou gordurosas, comidas muito temperadas, etc. Por falar em linguiça, outro dia atendi um labrador, de um casal amigo, passando muito mal após comer linguiça.

Tem também a questão dos dentes: a comida caseira obriga escovações mais frequentes, para evitar a formação de tártaro nos dentes. Com o uso de rações, o problema do tártaro é bem menor.

Posso dar então um pouco de ração e um pouco de comida? Aí tem outro problema. O cachorro tende a rejeitar a ração quando tem a opção da comida. Diferente dos gatos, que adoram ração, e a preferem, os cães vão ficar olhando para você, como que perguntando: cadê a comida?

Por falar em gatos, a qualidade da ração também é muito importante. Hoje em dia, se tornou comum um problema chamado síndrome urológica felina. É um misto de inflamação, infecção e formação de cálculos (areia ou pedras) na vesícula urinária do gato macho, que podem acabar obstruindo sua uretra. O animal não consegue urinar, e se não for prontamente socorrido, morre. É muito mais comum acontecer com gatos que comem rações sem qualidade do que com os que comem boas rações.

No tocante à quantidade, isso pode variar conforme a fase da vida, a atividade, a personalidade do animal e a qualidade da ração. Teoricamente, uma ração mais forte deveria satisfazer com menor quantidade. Com certeza ela nutre com menos quantidade, mas cuidado com as indicações que vêm na embalagem, pois podem estar subestimando o apetite do seu cão. Na dúvida, dê sempre um pouco mais do que está indicado no saco.

Hábitos alimentares de cães e gatos

Gato comendo

Gatos não têm hora para comer, e em geral as pessoas deixam a panelinha sempre cheia e eles comem a quantidade que quiserem e na hora que quiserem. Isso se a ração for seca, pois não estraga. As úmidas, de latinha, estragam após algumas horas. Esse conselho de deixar comida à vontade para os gatos pode não ser cientificamente o mais certo e ocasionar gatos obesos, mas é o mais comum, pois muitos gatos não comem se o pote de ração não estiver bem cheio.

A minha gata é assim. Se o recipiente estiver ainda pela metade, ela “pede” para encher. Não come enquanto não encher. Aí tem de ficar de olho para a ração que está por baixo não estragar. É muito desagradável quando ela faz essas exigências às três horas da manhã, mas se não atender, o bicho literalmente pega! São várias patadas e mordidas até eu levantar.

Os cães têm o hábito de comer na hora em que você coloca a ração. Filhotes, por serem mais ativos, devem comer várias vezes ao dia. No mínimo três, podendo ser mais. Costumo recomendar pouca quantidade várias vezes ao dia. Já os adultos devem comer no mínimo duas vezes ao dia. O hábito de comer apenas uma vez ao dia não é legal e favorece uma doença grave chamada torção de estômago, pois o animal pode comer muito de uma vez, beber muita água e isso pode torcer seu estômago.

Acima de qualquer regra impera o bom senso. Animal magrinho pode estar comendo pouco. Obesos e os que fazem muito cocô podem estar comendo em excesso. O tempo disponível que cada um tem para tratar deste assunto também deve ser levado em consideração.

Quem fica muito tempo fora de casa, tem de deixar o rango garantido na sua ausência. A água deve ser oferecida em abundância e sempre fresca. Não descuide da higiene das vasilhas de água e comida, que devem ser constantemente lavadas e bem enxaguadas. Uma última observação para quem é vegetariano: já existe no mercado uma ração totalmente vegetariana para os cães e, até onde se sabe, oferece boa nutrição.

Aprenda a alimentar seu cachorro de acordo com a raça.

%d blogueiros gostam disto: