Namoro pela internet: clique aqui

É possível encontrar a cara metade

Namoro pela internet: clique aqui

 

Aquele frio na barriga ao segurar a mão do parceiro…aquela expectativa do primeiro beijo depois de meses de namoro. O que? Não está entendendo nada ou isso não faz mais sentido para você? Bem-vindo à era do namoro virtual onde o seu amor pode estar a um clique de distância.

Com a chegada da Internet, as relações ficaram mais estreitas e rápidas. Você pode conversar em tempo real com quem está a quilômetros de distância sem sequer conhecer pessoalmente ou visitar e conhecer lugares sem sair do seu lugar! Pode parecer estranho, mas é mais comum do que se imagina. O universo on-line é muito vasto, há uma infinidade de sites para navegar. O que você quiser achar basta digitar e logo aparecem inúmeras opções. Quer encontrar um namorado (a)?Opções de busca não faltam. Existem chats para bate- papo imediato e sites especializados em relacionamentos para tornar mais simples a busca por um amor.

A psicóloga Renata Gongola afirma que muitas pessoas buscam os sites por serem tímidas, , por fantasia, curiosidade ou por terem sofrido alguma decepção e estarem com medo de se relacionar novamente “Não há uma regra. A pessoa por traz do computador cria uma falsa segurança de que está fora de risco de se decepcionar com o outro. É uma expectativa fora do real porque todo relacionamento tem pontos positivos e negativos. O namoro virtual permite o convívio com uma pessoa sem dividir os problemas e dificuldades de um casal real. Contudo, em alguns casos, as afinidades são tantas e tão fortes que resultam em uma união que rompe a barreira virtual e pode até chegar ao casamento.”, explica a psicóloga.

Mariana*, de 50 anos diz que buscou por sites de relacionamento por conhecerhistórias de namoro pela internet que deram certo e por saber que lá encontraria pessoas como ela. “Existe a possibilidade de você analisar o perfil da pessoa e imediatamente selecionar as pessoas que se enquadram no perfil que você procura. No meu caso foi rápido. Acessei o site de namoro virtual há dois meses, me cadastrei há um e já encontrei alguém especial.”, diz Mariana.

É possível encontrar o amor na era virtual

Mas não são todos os internautas que tem essa sorte. Pedro*, 33 anos, freqüenta os sites de relacionamento há dois anos e ainda não conseguiu acessar a sua cara metade. “Já fui a dezenas de encontros, mas nunca encontrei ninguém que olhasse e me apaixonasse. Na net é uma coisa, mas quando você vê mesmo, a coisa rola diferente”, conta o advogado. 

Para que isso não aconteça com tanta freqüência, alguns sites buscam o maior número de informações possíveis dos cadastrados para que possam automaticamente fazer o cruzamento de dados comuns a fim de ajudar na busca, uma vez que são milhões de perfis cadastrados.

“Pessoas mais experientes já têm bem definido o que desejam e o que não querem num relacionamento e por isso vai ficando cada vez mais difícil encontrar um parceiro. Ainda mais hoje que o sexo virtual dispensa as formalidades do dia seguinte.”, alega Mariana.

A psicóloga Renata Gongola reforça essa tese e faz um alerta: “o sexo virtual pode ser prazeroso para quem pratica, mas precisamos saber até que ponto só o namoro pela internet é saudável, pois não devemos substituir o convívio pessoal e a socialização; afinal nada melhor do que acariciar e sentir aquela pessoa especial.

Mas atenção: para o convívio acontecer é preciso que todos os cuidados com segurança sejam tomados. Medidas básicas como não passar endereço, nome completo, telefone para estranhos não devem ser esquecidos nos momentos de empolgação. Tente também conhecer a pessoa pela webcam e só marque encontros em locais públicos.

 

(*) Preservamos a identidade de nossos entrevistados com nomes fictícios.

Adm Top Joy!

 

Porquê o beijo é importante no início do relacionamento

O significado do beijo na boca

Casal se beijando

Shutterstock

Simbolicamente, o beijo na boca implica em “devorar o outro” com carinhos e carícias. Isso pode ser interpretado um tanto “antropofágico”, apesar do outro não ser destruído, mas preservado. Ainda bem!

Quando a paixão nos leva a dar ou a receber “aquele amasso”, o beijo entrelaça dois apaixonados em uma troca de texturas, aromas, gostos, sensações, segredos e emoções. Nós beijamos furtivamente, lascivamente, gentilmente, timidamente, raivosamente e exuberantemente.

Beijar é um encontro físico e íntimo. A fusão de dois corpos emite uma comunicação tão poderosa para seu parceiro, quanto às sensações que fluem para dentro do casal. Esse ato pode nortear a situação atual e o futuro de um relacionamento. De fato, sabemos que quando o primeiro beijo não causa uma boa impressão, isso geralmente impede que o relacionamento siga em frente.

O psicólogo Gordon Gallup Jr., da Universidade de Albany, nos Estados Unidos, avaliou 1.041 estudantes universitários e descobriu que apenas cinco deles nunca haviam tido uma experiência romântica de beijar e mais de 200 deles estimaram ter beijado mais do que 20 parceiros. O pesquisador também encontrou diferenças sexuais quanto à importância e o tipo do beijo.

 

Homens x Mulheres

beijo de casal na cama

Shutterstock

Os homens beijam com uma finalidade – ganhar favores sexuais ou se reconciliar. Por outro lado, as mulheres beijam para estabelecer e monitorar o status de seu relacionamento, avaliar e periodicamente atualizar o nível de comprometimento por parte do parceiro.

Além disso, as mulheres dão mais ênfase ao beijo e, na maioria das vezes, não se envolvem com o sexo sem beijar. Elas foram mais verossímeis que os homens para insistir no beijar antes do ato sexual e mais aptas para enfatizar a importância do beijo durante e depois do encontro. Em comparação, os homens disseram que estariam felizes em ter sexo sem o beijo, e mais homens que mulheres expressaram uma disposição para ter sexo com alguém que não considerassem como um bom beijoqueiro.

Nessa mesma pesquisa, observou-se que 59% de 58 homens e 66% de 122 mulheres admitiram ter tido atração por alguém e rapidamente seu interesse desapareceu após o primeiro beijo. Os beijos considerados ruins não tinham nenhum defeito em particular, os parceiros simplesmente não se sentiram bem e terminaram o relacionamento: foi o beijo do fim. A razão que poderia explicar esse fato talvez seja a existência do MHC não compatível (complexo de histocompatibilidade principal que regula o sistema imunológico) na saliva dos amantes.

Em outras palavras, o beijo seria mais uma “ferramenta estratégica” da evolução para averiguar de forma inconsciente se o candidato escolhido a parceiro é adequado para a procriação e passagem dos genes adiante. Uma explicação um tanto fria e pragmática, mas que não diminui em nada o misterioso deleite de aproximar, tocar e sentir os lábios ardentemente apaixonados.

 

 

Você acredita em amor à primeira vista?

É ele

Casal sorrindo

Shutterstock

Patrícia saiu extenuada do trabalho e já imaginava o relaxante banho que a esperava em casa. Mas sabia que primeiro deveria satisfazer as “vontades” de Apolo. Mal chegou e não teve como se livrar do insistente pedido de seu companheiro canino para dar sua última voltinha de confraternização no calçadão da praia. E lá foi Patrícia levando o saltitante labrador pela coleira num entardecer preguiçoso ao lado das ondas.

De repente, Apolo estancou no chão, e Patrícia tentava com muita dificuldade fazê-lo se levantar novamente. Nesse exato momento no sentido inverso, correndo a alguns metros a sua frente, lá estava ele. Patrícia não conseguiu desviar seu olhar dos olhos verdes do atlético homem que imediatamente parou e a ajudou a levantar Apolo. Seu coração começou a bater descompassadamente, e uma onda estranha de prazer e euforia brotou do seu estômago e subiu em direção ao seu rosto que ardia como um fogaréu. Ele não era lindo, mas o conjunto todo de seu corpo e rosto a atraiu inexplicavelmente. Sentiu uma profunda afeição por esse desconhecido. Tudo foi muito rápido, porém não tinha a exata noção do tempo. Num dado momento, Patrícia percebeu que não segurava mais a coleira de seu cão e que o homem coçava carinhosamente a cabeça de Apolo…

 Casal se olhando

Talvez já tenha acontecido com você: na hora certa, no lugar certo, o tão esperado príncipe se materializa na sua frente. Você não tem dúvida: é ele. Depois de uns olhares furtivos e uma rápida checagem física, você descobre que se apaixonou somente pelo olhar.

Se você já experimentou essa “atração fatal”, tranquilize-se, a ciência já comprovou que o amor à primeira vista existe. Aliás, essa “estratégia” rápida de se encantar pelo outro é muito utilizada por várias espécies de animais. Lembremos que eles têm muito pouco tempo na natureza para “escolher” seu parceiro, visto que as fêmeas ficam receptivas para fazer sexo com os machos por curtos períodos, além do risco dos predadores e concorrentes. Os animais têm que agir velozmente, pois possuem somente algumas horas, alguns dias ou poucas semanas para espalhar seus genes, conceber e procriar.

Visão e atração

Sendo assim, a utilização da visão para buscar e encontrar o parceiro escolhido é fundamental. A atração instantânea tem uma vantagem evolutiva entre as espécies, pois quão mais veloz e eficiente for a identificação do parceiro receptivo, maiores as chances de sucesso na reprodução, que por sinal é o objetivo primordial da natureza.

É provável que nós tenhamos herdado essa “estratégia”. Uma pesquisa norte-americana constatou em uma amostragem de 100 casais, que 11% dos homens e mulheres se apaixonaram no exato momento que olharam para o parceiro.

 

Enquanto isso, no cérebro…

Mulher beijando homem

Shutterstock

Mas o que realmente acontece no cérebro e no corpo quando o encantamento é imediato, no primeiro olhar? Na verdade, os estudiosos acreditam que a intensa atração e desejo sexuais são desencadeados pelo cérebro. Duas estruturas cerebrais são importantes: o hipotálamo e a amígdala – localizados na parte mais primitiva do cérebro, o sistema límbico, nossa “central das emoções”. O hipotálamo é responsável pelos impulsos mais primordiais que temos como fome, sede e sexo. E a amígdala é o centro da excitação sexual.

Simultaneamente ao primeiro olhar, a química cerebral se altera e grandes quantidades de dopamina são liberadas provocando uma verdadeira onda de prazer, euforia e maior produção de testosterona, tanto no homem como na mulher. A testosterona é o hormônio que “engatilha” o desejo e a atração sexuais.

Tudo isso acontece velozmente quando uma pessoa sente uma atração irresistível e incontrolável, ou seja, tem desejo intenso por outra. E esta focalização (um tanto obsessiva) imediata, desencadeada pelo olhar, tem um sentido biológico bem pragmático: procriação e manutenção da espécie. E uma curiosidade: em situações de grande risco de vida para os indivíduos, como guerras e catástrofes naturais, as pessoas tendem a se atrair sexualmente mesmo sem se conhecer…

As preferências físicas

O que atrai o homem e a mulher quando se olham? Veja abaixo as listas de preferências deles e dela

Elas preferem homens com:

  • Traços faciais simétricos;
  • Juventude;
  • Altura maior (que a da mulher);
  • Peito e ombros largos;
  • Braços fortes;
  • Um pouco de barba;
  • Mandíbula e queixo “quadrados e marcantes”;
  • Coxas musculosas;
  • Mãos grandes;
  • Abdome sarado.

Eles preferem mulheres com:

  • Traços faciais simétricos e finos;
  • Lábios carnudos;
  • Juventude;
  • Altura mediana (mas menor que a do homem)
  • Ombros não muito largos;
  • Seios grandes;
  • Abdome sarado;
  • Quadril largo;
  • Nádegas salientes;
  • Mãos finas;
  • Pernas bem torneadas.

Portanto, o amor à primeira vista com intensa atração, desejo e obsessão, é um fenômeno que tem como objetivo unir o mais rápido possível um casal. No entanto, lembremos que nós humanos, apesar de transcendermos o aspecto puramente biológico do amor com nossa inteligência, ainda “carregamos” no nosso DNA comportamentos primitivos que muitas vezes nos deixam perplexos e extasiados.

 

 

%d blogueiros gostam disto: